PUBLICIDADE
IPCA
+0,93 Mar.2021
Topo

Clientes reclamam de problemas no aplicativo da Caixa: 'Não funciona'

Usuários do Caixa Tem reclamam de instabilidades no uso do aplicativo - Viviane Lepsch/Zimel Press/Estadão Conteúdo
Usuários do Caixa Tem reclamam de instabilidades no uso do aplicativo Imagem: Viviane Lepsch/Zimel Press/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

07/04/2021 11h45Atualizada em 07/04/2021 14h02

Os clientes da Caixa Econômica Federal estão usando as redes sociais para se queixar sobre instabilidades no aplicativo Caixa Tem. Além de consulta de serviços ao trabalhador, a plataforma é utilizada para consultar e transferir os valores do auxílio emergencial.

O benefício começou a ser pago ontem, mas só poderá ser sacado a partir do dia 4 de maio. As dificuldades para acessar o aplicativo Caixa Tem estão sendo compartilhadas nas redes sociais desde ontem pelos usuários do banco.

"O dia que eu consegui entrar no caixa tem sem me estressar vai ser o dia mais feliz da minha vida", escreveu uma usuária do aplicativo do banco no Twitter.

"O aplicativo do caixa tem se recusa a funcionar, eu mereço né", se queixa outra cliente da Caixa.

"Bom dia @Caixa gostaria de saber se vão liberar meu acesso ao CAIXA TEM ou terei de ir em alguma agência? Tá difícil hein", disse um outro internauta, cobrando respostas ao banco.

Filas nas agências da Caixa

A TV Globo mostrou ontem filas de clientes em agências da Caixa em Pernambuco, São Paulo, Rio de Janeiro, Ceará e Bahia.

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, disse que as filas formadas em frente às agências do banco pelo país foram motivadas por pessoas que tentaram realizar o desbloqueio do aplicativo Caixa Tem.

"O que está acontecendo hoje, que já era esperado? Estamos pagando aquelas pessoas que nasceram em janeiro. Agora, muitas pessoas estão indo às agências para desbloquearem, eventualmente, o aplicativo do Caixa Tem", disse Guimarães em entrevista ontem à CNN Brasil.

O UOL entrou em contato com a Caixa para verificar quais medidas estão sendo adotadas pelo banco para resolver o problema de instabilidade. Em nota, o banco informou que o aplicativo está operando normalmente.

"A Caixa reforça que, para segurança do próprio usuário, o aplicativo Caixa Tem aceita apenas o cadastro de uma conta por número de celular (chip) e até duas por dispositivo. Caso a conta do beneficiário seja bloqueada pelo não cumprimento destas orientações, a recomendação é entrar em contato com a central telefônica 111 para que sejam seguidos os procedimentos necessários".

Quem poderá receber o benefício

É preciso atender uma série de critérios para receber o novo auxílio:

  • ter recebido o auxílio emergencial em 2020

  • ser trabalhador informal ou beneficiário do Bolsa Família
  • ter renda familiar mensal de até três salários mínimos (R$ 3.300)
  • ter renda familiar por pessoa de até meio salário mínimo (R$ 550)

Como saber se vou receber?

O governo disponibilizou três canais para consultar se terá direito:

Portal da Dataprev: https://consultaauxilio.cidadania.gov.br/consulta/#/
Site da Caixa: https://auxilio.caixa.gov.br/#/inicio
Telefone 111

Qual será o valor do auxílio?

Dependerá da condição de cada benefício:

  • Para quem mora sozinho: R$ 150
  • Famílias com mais de uma pessoa e que não são chefiadas por mulheres: R$ 250
  • Famílias chefiadas por mulheres: R$ 375

Como será o pagamento?

O governo vai depositar o dinheiro nas contas digitais gratuitas abertas pela Caixa em nome dos beneficiários do auxílio no ano passado. O dinheiro pode ser movimentado pelo aplicativo Caixa Tem.

Primeiro, a pessoa recebe o depósito e só consegue usar o dinheiro para transferências, compras e pagamento de contas. O saque do dinheiro só é disponibilizado semanas mais tarde.

Quem não poderá receber?

Não têm direito, segundo o governo:

  • trabalhadores formais, com carteira assinada
  • quem recebe benefício do INSS ou de programa de transferência de renda federal
  • quem recebeu o auxílio em 2020, mas não sacou nem usou o dinheiro
  • quem estiver com auxílio emergencial 2020 cancelado no momento da análise cadastral do novo auxílio
  • residentes médicos, multiprofissionais, beneficiários de bolsas de estudo, estagiários e similares
  • pessoas com menos de 18 anos, exceto mães adolescentes
  • presidiários
  • quem teve rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2019
  • quem tinha em 31 de dezembro de 2019 a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300 mil
  • quem recebeu em 2019 rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte superior a R$ 40 mil

Como fazer para pedir o auxílio

Não é possível pedir o benefício. No ano passado, o governo disponibilizou um aplicativo e um site para o trabalhador se cadastrar e solicitar o auxílio.

Neste ano, o governo vai usar o cadastro feito no ano passado. Se avaliar que o trabalhador atende os critérios, pagará o benefício automaticamente, sem que o trabalhador tenha que fazer nada para receber.