PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

WhatsApp ou Pix: qual opção é melhor para transferir dinheiro pelo celular?

Raphael Coraccini

Colaboração para o UOL, em São Paulo

18/05/2021 04h00

O Pix, meio de pagamento criado pelo Banco Central (BC), surgiu em novembro de 2020 com a proposta de mudar o custo de transferências bancárias. Desde então, 500 milhões de transações foram feitas pela plataforma, segundo números de abril, reduzindo o espaço cativo até então da TED e do Doc como meios de passar ou receber dinheiro de alguém.

Outra novidade chegou para facilitar as transferências. A opção Pagamento WhatsApp é gratuita como o Pix e permite que os usuários do aplicativo transfiram dinheiro de dentro das conversas no aplicativo.

Entenda as diferenças entre o Pix e os pagamentos no WhatsApp, além das vantagens e dificuldades de cada ferramenta para garantir transações rápidas e sem custo.

Como aderir?

  • Pix

É preciso fazer o cadastro no banco ou na fintech por meio do aplicativo ou internet banking. Para começar a usar, o cliente deve cadastrar uma chave que ele passará a outras pessoas quando elas precisarem fazer uma transferência. Essa chave pode ser o CPF, e-mail pessoal, número de celular ou um número aleatório gerado pelo sistema Pix.

Para mandar um Pix para alguém, é preciso ter a chave da pessoa. A forma mais fácil de fazer uma transferência é pelo celular, usando o aplicativo do banco, mas o BC afirma que as instituições participantes também precisam oferecer o Pix em outros canais, como caixas eletrônicos.

  • Pagamento WhatsApp

Aderir à opção Pagamento no WhatsApp é mais complexo. É preciso ser convidado por alguém. A pessoa que já faz uso deve realizar uma transferência para outra, e esse valor vai servir como um convite.

O novo usuário, para aceitar a transferência, precisará cadastrar seu CPF e o cartão de débito do banco, entre outros dados pessoais, que serão cadastrados para realizar transferências pelo aplicativo a partir de então.

Assim que o novo usuário aceitar o convite, o ícone Pagamento vai aparecer quando o usuário clicar no símbolo de clipe (Android) ou no sinal de mais (iOS) dentro de uma conversa.

O que dá para fazer?

  • Pix

O Pix permite a realização de transferência de valores entre pessoas e empresas, além de pagamento de boletos para concretizar uma compra.

  • Pagamento WhatsApp

O WhatsApp é mais limitado. Por enquanto, ele não permite pagamento de boletos, e as transferências só podem ser feitas entre pessoas. Empresas não podem se cadastrar na opção Pagamento. A expectativa é que no segundo semestre deste ano as empresas já possam ser cadastradas.

Quem pode usar?

  • Pix

No Pix, as opções são mais amplas. Qualquer pessoa ou empresa pode participar. É preciso ter uma conta corrente, poupança ou conta de pagamento pré-paga em uma das mais de 750 instituições participantes do sistema Pix.

  • Pagamento WhatsApp

Pelo WhatsApp, apenas pessoas podem pagar e receber. Não inclui empresas. Para participar, é preciso ter um cartão de débito, um duplo com opção débito ou pré-pago, e precisa ser dos bancos e bandeiras de cartões parceiros do aplicativo.

Estão cadastrados para realizar transferência pelo WhatsApp os cartões com bandeira Visa, do Banco do Brasil, Bradesco, Mercado Pago, Next, Sicredi e Woop. Cartões Mastercard do Banco Inter, Itaú, Nubank e Sicredi também podem ser usados para transferências pelo aplicativo.

Qual é mais rápido?

  • Pix

O Pix exige que o pagador tenha a chave do beneficiário, que pode ser uma senha longa de vários números, e entre no aplicativo ou no internet banking da instituição. Em ambos os casos, a operação é realizada instantaneamente, a qualquer hora do dia e da semana.

  • Pagamento WhatsApp

Apesar de ambos serem instantâneos, o WhatsApp tende a ser mais rápido para o consumidor porque tem menos etapas para fazer a transferência. Em uma conversa com um contato da lista do WhatsApp, só é preciso inserir a senha ou a biometria e escolher o valor.

Têm limite de transferências?

  • Pix

O Pix também impõe alguns limites, só que eles são menos restritivos que os do WhatsApp. O valor da transferência está limitado a 100% do que o banco permite transferir por TED.

Além disso, há também algumas limitações relacionadas a horário e forma de pagamento. Da meia-noite até as 6 horas da manhã o limite de transação é de R$ 1.000. Esse valor também é o teto para transferências e pagamentos por QR Code.

  • Pagamento WhatsApp

Sim. No WhatsApp, alguns limites foram estabelecidos a respeito das quantias que podem ser enviadas por vez e da quantidade de transações que podem ser realizadas em um determinado período de tempo.

As pessoas podem enviar até R$ 1.000,00 por transação e receber 20 transações por dia, com um limite de R$ 5.000,00 por mês. Os bancos parceiros podem estabelecer um limite menor para transações se assim decidirem.

Permitem transações internacionais?

  • Pix

O Pix também só permite transações nacionais em real, mas a situação pode mudar, uma consulta pública está sendo realizada pelo Banco Central para mudar as normas cambiais, o que pode favorecer as novas tecnologias de pagamento.

  • Pagamento WhatsApp

Até o momento, não. O WhatsApp afirma que, para realizar a transferência de valores, "as pessoas precisam ter um número de telefone do Brasil. Somente transações dentro do país e em moeda local são autorizadas".

Só posso acessar pelo celular?

O acesso ao Pix ocorre por celular, internet banking, agências, caixas eletrônicos e correspondentes bancários, como lotéricas, por exemplo. Mas em todos os casos é necessário acesso à internet, assim como nos pagamentos pelo WhatsApp.

Porém, no aplicativo de mensagens, as transferências só podem ser realizadas pelo celular. O WhatsApp Web não permite que as operações sejam realizadas pelo desktop ou notebook, por enquanto.

São seguros?

Sim. O Pix usa estrutura tecnológica centralizada, na qual a comunicação entre os diversos participantes e o Banco Central é realizada por meio de mensagens. "Todas as transações ocorrem por meio de mensagens assinadas digitalmente e que trafegam de forma criptografada, em uma rede protegida e apartada da Internet", diz o BC.

O WhatsApp também recebeu o aval do BC para funcionar como iniciador de pagamentos, uma nova categoria criada pela Lei de Liberdade Econômica, e conta com criptografia para proteger as informações, assim como fazia antes de lançar a opção Pagamento.

Ainda assim, as opções não estão isentas de perigos. Ainda que os sistemas das empresas envolvidas nas novas formas de pagamento sejam robustos, a maior parte das fraudes financeiras está relacionada ao vazamento de senhas nos celulares e computadores dos usuários.

Os sistemas de segurança pouco podem fazer quando o usuário deixa vazar seus dados. Como alternativa, o WhatsApp tem apostado no uso da biometria para confirmar as transferências, sem a necessidade do uso de uma senha numérica.

Enfim, qual a melhor opção, Pix ou WhatsApp?

O Pix ainda está à frente do WhatsApp, principalmente porque o aplicativo de mensagem não permite transferir dinheiro ou fazer pagamentos para CNPJs, ou seja, não é possível pagar uma compra a uma empresa pelo aplicativo.

A lista de bancos participantes do WhatsApp também deixa de fora bancos digitais que estão crescendo e que têm atraído muitos clientes jovens. Além disso, os limites de valor e a quantidade de transferências pelo aplicativo de mensagens são restritivos.

Enquanto não ampliar suas possibilidades, o WhatsApp poderá funcionar como opção para transferências de baixo valor entre amigos e familiares.

O Pix, porém, já substitui transações via TED e Doc, contribuindo para reduzir os custos de transferências e pagamentos de todos os tamanhos.