PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Para seguir em home office, 44% das mulheres consideram trocar de emprego

Pesquisa mostra que 63,8% dos profissionais preferem modelo de trabalho remoto ou híbrido - iStock
Pesquisa mostra que 63,8% dos profissionais preferem modelo de trabalho remoto ou híbrido Imagem: iStock

Colaboração para o UOL

26/08/2021 10h53

Uma pesquisa mostrou que profissionais estão muito mais interessados no modelo híbrido de trabalho, que combina o remoto com o presencial, do que voltar ao escritório todos os dias. Muitos deles, inclusive, consideram trocar de emprego caso não tenham mais a opção de trabalhar em casa.

Entre as mulheres, quatro em cada dez, ou 44,1%, informaram que optariam por uma nova oportunidade que oferecesse um modelo remoto ou híbrido. Entre os homens, esse percentual é de 31,4%.

O levantamento da Robert Half, empresa de recrutamento especializado, demonstra que o sistema adotado por muitas empresas durante a pandemia de covid-19, devido à necessidade de distanciamento social, conquistou colaboradores. A pesquisa entrevistou 358 pessoas entre 29 de junho e 19 de julho, considerando trabalhadores e desempregados que buscam recolocação.

Após mais de um ano vivenciando essa realidade, 76,5% dos profissionais passaram a considerar o home office um novo modo de trabalho. Segundo os dados obtidos, 63,8% dos entrevistados gostariam de trabalhar mais dias da semana em casa que no escritório. E apenas 16,7% preferem a frequência inversa.

"Antes da pandemia, a percepção geral dos colaboradores era de que o home office era um benefício oferecido pelas empresas, um diferencial de contratação. O que a pesquisa nos mostrou é que, hoje, o colaborador tem consciência de que está diante de um novo modelo de trabalho, disposto a mantê-lo e conciliá-lo com sua nova rotina", afirma Fernando Mantovani, diretor-geral da Robert Half para a América do Sul.

Atentas às necessidades dos profissionais

De acordo com a pesquisa, as empresas estão atentas ao desejo dos colaboradores. Segundo os entrevistados, mais da metade das empresas (58,1%) ainda não definiu como será o modelo de trabalho após a pandemia.

Entre as que já anunciaram a decisão, 21,4% decidiram pelo retorno total ao escritório. Conforme as respostas obtidas, 65,4% delas escolheram o modelo híbrido.

Nos casos daquelas que vão combinar trabalho remoto e presencial, 46% definiram um esquema mais rígido de comparecimento, no qual os funcionários trabalham alguns dias no escritório e outros em casa. Já 19,4% delas vão oferecer um modelo totalmente flexível, deixando que o colaborador opte aonde trabalhar, sem dias definidos.

PUBLICIDADE