PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Crise: Ministro propõe redução de uso de chuveiros e ferros de passar

Colaboração para o UOL

01/09/2021 09h51

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, pediu em pronunciamento o apoio da população para reduzir o gasto elétrico em meio a crise hídrica. Albuquerque propôs também que os grandes consumidores reduzam, de forma voluntária, o uso elétrico em horas de ponta do sistema.

"Incentivamos igualmente os consumidores residenciais, comerciais e de serviços a também participar desse esforço. A título de exemplo, uma redução média de 12% no consumo residencial equivaleria ao suprimento de nada menos que 8,6 milhões de domicílios", disse.

O ministro falou que a economia poderia ser maior se as pessoas priorizassem a luz natural e desligassem aparelhos que não estão sendo usados. Outra solução seria "reduzindo a utilização de equipamentos que consomem muita energia como chuveiros elétricos, condicionadores de ar e ferros de passar. E o mais importante: dando preferência para o uso desses equipamentos durante o período da manhã e nos finais de semana".

Albuquerque explicou que quem aderir ao chamado para poupar energia será recompensado e pode "ter redução na sua conta de luz". Haverá um desconto de R$ 0,50 a cada kWh economizado, se o uso de energia elétrica for reduzido entre 10% e 20% em relação ao mesmo período no ano passado.

O ministro afirmou que a saída da crise "vai levar tempo", porque o governo depende das chuvas para preencher os reservatórios. "É por isso que, nesse momento de escassez, precisamos, mais do que nunca, usar nossa água e nossa energia de forma consciente e responsável", aconselhou.

Nova bandeira

O governo divulgou ontem a criação uma nova bandeira para a conta de luz, que aumenta o valor da taxa extra em 50%. Chamada de bandeira de escassez hídrica, a taxa tem o valor de R$ 14,20 por 100 kWh, e será aplicada à conta de luz a partir desta quarta-feira (1º). A bandeira ficará em vigor até 30 de abril de 2022.

As bandeiras tarifárias são independentes da tarifa de energia, e acrescentadas ao valor da conta dependendo das condições de geração de energia no setor elétrico. Quando o cenário é favorável, não há acréscimo (bandeira verde). A bandeira amarela indica cenário menos favorável, enquanto as vermelhas (patamar 1 e 2) apontam para condições custosas de geração de energia.

O objetivo das bandeiras tarifárias é remunerar o uso de usinas termelétricas, que têm custo mais alto. As termelétricas estão sendo utilizadas por causa da seca, que diminuiu o reservatório de hidrelétricas e prejudicou a geração de energia.

PUBLICIDADE