PUBLICIDADE
IPCA
1,16 Set.2021
Topo

Motorista de Uber em SP roda até 60h por semana para lucrar R$ 3.000 no mês

Biólogo, Daniel Paiva faz corridas na região de Guianases, na zona leste - Arquivo pessoal
Biólogo, Daniel Paiva faz corridas na região de Guianases, na zona leste Imagem: Arquivo pessoal

Henrique Santiago

Colaboração para o UOL, em São Paulo

02/10/2021 04h00

Com a disparada nos preços dos combustíveis, motoristas de Uber em São Paulo chegam a dirigir 60 horas por semana, uma média de 12 horas por dia útil, para conseguir tirar R$ 3.000 por mês. A alta do combustível tem feito com que muitos recusem viagens, principalmente as mais curtas, por entender que não valem a pena.

Em setembro, a Uber reajustou o valor da corrida do UberX em até 35% na região metropolitana de São Paulo, como resposta ao aumento de preço. A empresa não informou se as demais tarifas também subiram.

O UOL conversou com três motoristas da cidade de São Paulo, que têm carro 1.0 próprio e quitado, e mostra o quanto eles trabalham para garantir sua renda.

De segunda a segunda, por até 12 horas

Há dois anos dirigindo para a Uber, Daniel Paiva, 23, controla seus ganhos e despesas no mês com uma tabela no celular. Em agosto, conseguiu lucrar R$ 3.059, após desembolsar mais de R$ 2.200 só com gasolina.

Para chegar a esse ganho, trabalha de segunda a segunda, sem folga: 12 horas de sexta a domingo e seis horas de segunda a quinta. Em média, são 60 horas por semana, muito acima do limite ditado pela CLT (Consolidação das Leis de Trabalho) para trabalhadores com carteira assinada, de 44 horas.

Ele mora em Guaianases, no extremo leste da capital, e prefere circular pelas redondezas com seu Renault Sandero 2013.

Trabalho menos durante a semana, mas no fim de semana preciso dar uma 'esticada' e tiro uns R$ 400, R$ 500. Acho mais vantajoso.
Daniel Paiva, 23, motorista de Uber

Na sua planilha de gastos, porém, a alimentação fica de fora. Vez ou outra, ele tira cerca de R$ 150 do bolso por mês para comer um salgado entre uma corrida e outra.

Daniel afirma que há mais prós do que contras no trabalho, mas diz que a questão da segurança poderia ser melhor para o motorista.

Conta ter sido vítima de um sequestro-relâmpago em plena luz do dia, no final de 2019, quando trabalhava com um carro alugado. Na época, fazia corridas quando não estava no estágio, para bancar a faculdade de biologia.

Ele diz que os sequestradores levaram o carro e deixaram o motorista em uma comunidade, apenas com a roupa do corpo e a dor de cabeça de acionar a locadora para explicar que não poderia arcar com o prejuízo por ter sido vítima de um crime.

Seguiu dirigindo depois disso, mas diz que seu objetivo é cursar licenciatura na sua área daqui a um ano para sair do aplicativo.

Já estou saturado, porque cansa muito e eu não consigo manter a cabeça no lugar. Tenho que fugir disso.
Daniel Paiva, 23, motorista de Uber

Ganhos e gastos médios mensais

  • Gasolina - R$ 2.260
  • Troca de óleo - R$ 127
  • Troca de pneus - R$ 133
  • Outros gastos com manutenção - R$ 300
  • IPVA - R$ 58
  • Reserva para eventual quebra de peças - R$ 300

Quanto sobra no final do mês: cerca de R$ 3.000

'Se me oferecerem vaga com carteira, aceito sem pensar'

Professor de história, Valter procura outro emprego para deixar o volante - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Professor de história, Valter procura outro emprego para deixar o volante
Imagem: Arquivo pessoal

As longas horas à frente do volante já fazem Valter José Júnior, 38, procurar outro trabalho, após apenas dez meses como motorista. Valter trabalha, em média, 45 horas por semana, e ganha até R$ 2.200 mensais.

Ele comprou um carro zero para começar a trabalhar como motorista em janeiro de 2021, após ser demitido da agência de turismo onde atuou por mais de dez anos como emissor de passagens aéreas.

De segunda a sexta, sai às 8h de sua casa na Penha, zona leste, e encerra o expediente às 17h, com uma pausa de 30 minutos para almoçar. Em dois domingos por mês, liga o aplicativo e roda por cinco horas. Diz não ter preferência por regiões, mas evita dirigir à noite por medo de ser assaltado.

Todo mês, gasta R$ 1.760 para abastecer o Fiat Argo 2020 com gasolina, seu maior gasto para manter o veículo.

Valter diz que muitos motoristas ganham pouco porque aceitam corridas promocionais, da categoria UberX Promo, que oferecem descontos fora do horário de pico. "Para o passageiro, é ótimo pagar menos, só que para o motorista é escravidão. Ele paga para trabalhar", diz.

Professor de história, ele complementa a renda com aulas particulares no tempo livre, enquanto tenta a sorte em processos seletivos no turismo ou em escolas, apesar de achar que "professor ganhar pouco".

Não vejo a hora de parar. Se me oferecerem uma vaga com carteira assinada, salário de R$ 2.000 por mês, eu aceito sem pensar.
Valter José Júnior, motorista de Uber

Ganhos e gastos médios mensais

  • Gasolina - R$ 1.760
  • Revisão obrigatória - R$ 25
  • Lavagem do carro - R$ 100 a R$ 160
  • Alimentação - R$ 150
  • Seguro do carro - R$ 100
  • IPVA - R$ 92

Quanto sobra no final do mês: entre R$ 1.700 e R$ 2.200

Regiões nobres e escolha de corridas

Alguns motoristas têm estratégias para tentar ganhar mais. Diego Matias, 38, sai diariamente de sua casa, no Tatuapé, zona leste de São Paulo, para áreas nobres da capital, como Morumbi, Pinheiros e Bela Vista.

Ao chegar nessas regiões, desliga a categoria UberX, que tem preços mais baratos para o passageiro, e aceita os chamados de outras corridas: Comfort (premium), Bag (transporte de mercadorias) e Flash (entrega de artigos pessoais). A única modalidade indisponível para seu Nissan Versa 2017 é a Black, voltada para carros de luxo.

Para ser Uber hoje, é preciso ter um carro econômico, não ter muitas despesas e entender o mercado: interpretar os horários, as regiões de maior demanda. Costumo não rodar em bairros de periferia, mas acontece de levar alguém de uma área nobre para lá. Aí eu ligo o UberX, porque sei que na região vai ter alguém querendo.
Diego Matias, 38, motorista de Uber

Diego tem como meta tirar R$ 5.000 por mês. Para isso, trabalha seis dias por semana, das 13h às 23h, o que dá 60 horas por semana. Às vezes, consegue ultrapassar a meta.

Sua planilha de gastos inclui R$ 1.680 com etanol por mês e outras despesas recorrentes. Prefere almoçar e jantar em casa, para economizar.

Ele trabalha como Uber há três anos, desde que foi demitido de um emprego como administrador de empresas, uma área que paga pouco, segundo ele.

Diz que o aplicativo não está para motoristas "aventureiros", que usam os dias de folga para ter um dinheiro extra.

O plano de Diego é trocar de carro em breve para entrar na modalidade de luxo e rodar por regiões com grande concentração de empresas, como Alphaville, na Grande São Paulo. E, quem sabe, fazer contato para beliscar uma entrevista de emprego na sua área.

Gastos médios mensais

  • Etanol - R$ 1.680
  • Lavagem do carro - R$ 100
  • Troca de óleo - R$ 93
  • Seguro do carro - R$ 205
  • Troca de pneus - R$ 100
  • IPVA - R$ 117

Quanto sobra no final do mês: cerca de R$ 5.000

PUBLICIDADE