PUBLICIDADE
IPCA
1,25 Out.2021
Topo

Guedes será ouvido sobre offshore em comissão da Câmara em 10 de novembro

2.set.2021 - O ministro da Economia, Paulo Guedes, em cerimônia no Palácio do Planalto, em Brasília - Adriano Machado/Reuters
2.set.2021 - O ministro da Economia, Paulo Guedes, em cerimônia no Palácio do Planalto, em Brasília Imagem: Adriano Machado/Reuters

Fabrício de Castro

Do UOL, em Brasília

19/10/2021 12h59

A Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados marcou para 10 de novembro, quarta-feira, o depoimento do ministro da Economia, Paulo Guedes, sobre seus investimentos em offshore. A informação foi confirmada pela secretaria da comissão.

Guedes já havia sido convocado em 6 de outubro para prestar esclarecimentos sobre a offshore sediada nas Ilhas Virgens Britânicas, um conhecido paraíso fiscal. Um dia antes, a Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público da Câmara também havia aprovado a convocação de Guedes. As datas ainda não foram marcadas, mas a tendência é de que Guedes seja ouvido numa sessão conjunta das duas comissões em novembro.

A existência de uma offshore não configura necessariamente um crime. No entanto, parlamentares têm alegado que pode existir um conflito de interesses na manutenção dessas operações enquanto Guedes ocupa o cargo responsável por gerir as políticas econômica e cambial do país.

Pandora Papers

A existência da offshore ligada a Guedes foi revelada pelo projeto "Pandora Papers", do ICIJ (Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos). No Brasil, os parceiros do consórcio são a revisa Piauí e o site Poder 360.

Conforme os "Pandora Papers", Guedes possui desde 2014 uma offshore de nome Dreadnoughts International. O ministro da Economia depositou US$ 9,54 milhões (mais de R$ 52,9 milhões, na cotação atual) na conta da offshore, em uma agência do banco Credit Suisse em Nova York.

Além de Guedes, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, manteve recursos investidos por meio de offshores.

PUBLICIDADE