PUBLICIDADE
IPCA
0,73 Dez.2021
Topo

Ciro e Moro atacam artigo sobre projeto econômico de Lula: 'Esconde Dilma'

Os dois são pré-candidatos à Presidência da República - Pedro Ladeira/Folhapress e Marcos Oliveira/Agência Senado
Os dois são pré-candidatos à Presidência da República Imagem: Pedro Ladeira/Folhapress e Marcos Oliveira/Agência Senado

Colaboração para o UOL

05/01/2022 09h54Atualizada em 05/01/2022 11h32

Os presidenciáveis Ciro Gomes (PDT) e Sergio Moro (Podemos) criticaram o projeto econômico do ex-presidente Lula (PT), nesta quarta-feira (5), exposto em uma publicação de artigo do economista Guido Mantega, no jornal Folha de S.Paulo. Ambos afirmam que o texto "esconde" a política econômica do governo Dilma Rousseff (PT), entre 2011 e 2016.

"A síntese do pensamento econômico do lulismo, pobre e cinicamente produzida por Guido Mantega, hoje na Folha, é uma das peças mais hipócritas e ambíguas já vistas. É uma mistura de 'Carta aos Brasileiros' envergonhada e nacional desenvolvimentismo de araque", escreveu o pedetista nas redes sociais.

A síntese do pensamento econômico do lulismo, pobre e cinicamente produzida por Guido Mantega, hoje na Folha, é uma das peças mais hipócritas e ambíguas já vistas. É uma mistura de "Carta aos Brasileiros" envergonhada e nacional desenvolvimentismo de araque.

-- Ciro Gomes (@cirogomes) January 5, 2022

Já o ex-juiz ironizou o texto, se referindo a Mantega, ex-ministro da Fazenda nos governos do PT, como "Pós-Itália", que seria o apelido do economista nas planilhas da Odebrecht nas quais constavam os beneficiários do dinheiro ilícito da empreiteira.

"Impressão minha ou Pós-Itália nega ou omite que a nova matriz econômica (agora será a novíssima?!) gerou a grande recessão de 2014-2016 durante o Governo do PT?".

A Folha de S.Paulo tem publicado artigos de representantes dos projetos econômicos dos pré-candidatos à Presidência da República. No texto escrito por Mantega - ex-ministro da Fazenda nos governos Lula -, o economista destaca a crise econômica no governo Bolsonaro e cita políticas públicas lulistas como solução, a exemplo do aumento de verbas sociais alinhado a maiores superávits primários.

"Covarde"

Ciro Gomes ainda diz que o artigo de Guido Mantega não discute, na avaliação dele, a questão central da economia no país. "Se o Brasil depender destes senhores para sair do atoleiro, vamos afundar de vez. A questão central - mudança do modelo de econômico - vira uma pergunta minúscula e covarde."

Ex-ministro da Integração Nacional no governo Lula, Ciro Gomes diz que Dilma foi "vergonhosamente" escondida no artigo de Mantega e critica também o atual presidente Jair Bolsonaro (PL). "Esconde vergonhosamente Dilma, manipula números e transfere toda culpa para o execrável e igualmente culpado Bolsonaro."

"Ou seja, fugindo das suas culpas, que são imensas, o lulismo já reedita o famoso álibi da 'herança maldita', agora com sinal invertido e duplicado. Quem temia que a proposta econômica do petismo fosse o 'mais do mesmo' ficou ainda mais frustrado: é o 'menos do mesmo'", completa o presidenciável.

Rodrigo Maia também se posiciona

Rodrigo Maia, ex-presidente da Câmara dos Deputados e atual secretário de João Doria (PSDB), também criticou o artigo escrito por Guido Mantega na Folha de S.Paulo. O deputado federal licenciado endossou o "sumiço" de Dilma Rousseff.

"É engraçado como 'sumiram' com a Dilma neste artigo do Guido Mantega. A recessão gerada pela matriz econômica do governo Dilma desapareceu das análises do ex-ministro", escreveu nas redes sociais.

Maia ainda rebateu a ideia de revogar a reforma trabalhista. "E acho interessante que as pessoas ficam tão preocupadas em discutir a revogação da reforma trabalhista, mas não estão preocupadas em gerar empregos para milhões de desempregados e subempregados no Brasil."

PUBLICIDADE