PUBLICIDADE
IPCA
0,73 Dez.2021
Topo

Calendário do abono salarial sai amanhã; veja datas propostas pelo governo

Abono será pago a trabalhadores que tiveram vínculo formal em 2020 e ganharam até dois salários mínimos, em média - iStock
Abono será pago a trabalhadores que tiveram vínculo formal em 2020 e ganharam até dois salários mínimos, em média Imagem: iStock

Giulia Fontes

Do UOL, em São Paulo

06/01/2022 14h00Atualizada em 07/01/2022 11h04

O calendário para o pagamento do abono salarial será definido amanhã, em reunião do Codefat (Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador), segundo o Ministério do Trabalho e Previdência. O órgão enviou uma proposta de calendário que prevê que os repasses comecem no dia 8 de fevereiro.

Tem direito ao abono salarial quem tiver trabalhado com carteira assinada por pelo menos 30 dias em 2020, recebendo, no máximo, dois salários mínimos, em média, por mês. Para receber o benefício, o cidadão também precisa estar inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos, e ter seus dados corretamente informados pelo empregador ao governo.

O valor do abono é proporcional ao período que o trabalhador esteve empregado com carteira assinada em 2020. Cada mês trabalhado equivale a um benefício de R$ 101.

Portanto, para saber quanto irá receber, basta que o trabalhador multiplique o número de meses em que teve carteira assinada em 2020 por R$ 101. Períodos iguais ou superiores a 15 dias contam como um mês cheio.

O benefício máximo, equivalente a 12 meses de trabalho, é de um salário mínimo (R$ 1.212).

Qual é o calendário proposto pelo governo

O repasse do dinheiro é feito de acordo com o mês de nascimento do trabalhador.

A proposta do governo, obtida pelo jornal Folha de S. Paulo, é de que os pagamentos comecem em 8 de fevereiro para os nascidos em janeiro. O último grupo, dos que nasceram em dezembro, teria direito a retirar o dinheiro a partir de 31 de março.

O prazo máximo para retirar o benefício acabaria em 29 de dezembro de 2022 para todos os trabalhadores.

Veja todas as datas:

  • Nascidos em janeiro: a partir de 8 de fevereiro;
  • Nascidos em fevereiro: a partir de 10 de fevereiro;
  • Nascidos em março: a partir de 15 de fevereiro;
  • Nascidos em abril: a partir de 17 de fevereiro;
  • Nascidos em maio: a partir de 22 de fevereiro;
  • Nascidos em junho: a partir de 24 de fevereiro;
  • Nascidos em julho: a partir de 15 de março;
  • Nascidos em agosto: a partir de 17 de março;
  • Nascidos em setembro: a partir de 22 de março;
  • Nascidos em outubro: a partir de 24 de março;
  • Nascidos em novembro: a partir de 29 de março;
  • Nascidos em dezembro: a partir de 31 de março.

A proposta foi apresentada ao Codefat, mas ainda precisa ser aprovada pelo conselho para que seja, de fato, implementada, o que deve acontecer amanhã.

O Codefat é composto por membros do governo e da sociedade civil. Estão representados sindicatos de trabalhadores, como a CUT (Central Única dos Trabalhadores) e a UGT (União Geral dos Trabalhadores), e também dos empregadores, como a CNI (Confederação Nacional da Indústria).

Abono começaria em julho de 2021, mas foi adiado

O pagamento do abono salarial referente ao ano de 2020 deveria ter começado em julho do ano passado. Em março de 2021, porém, o Codefat aprovou o adiamento dos repasses.

À época, sindicalistas afirmaram que o adiamento foi uma condição imposta pelo governo para que houvesse o pagamento do BEm (Benefício Emergencial), que complementou a renda de trabalhadores que tiveram suspensão de contrato ou redução de jornada durante a pandemia.

A decisão liberou R$ 7,6 bilhões no Orçamento do governo.

PUBLICIDADE