IPCA
0,42 Fev.2024
Topo

Comércio de Petrópolis tem prejuízo de mais de R$ 78 mi, mostra Fecomércio

Destruição causada pela chuva e por deslizamentos na localidade de Alto da Serra, em Petrópolis, região serrana do Rio de Janeiro - Bruno Kaiuca/Estadão Conteúdo
Destruição causada pela chuva e por deslizamentos na localidade de Alto da Serra, em Petrópolis, região serrana do Rio de Janeiro Imagem: Bruno Kaiuca/Estadão Conteúdo

Colaboração para o UOL, em Maceió

17/02/2022 17h58

Uma pesquisa realizada pelo IFec-RJ (Instituto Fecomércio de Pesquisas e Análises) mostrou que as fortes chuvas que caíram sobre Petrópolis, região serrana do Rio de Janeiro, na última terça-feira (15), provocaram um prejuízo superior a R$ 78 milhões no setor de bens, serviços e turismo da cidade.

O Instituto ouviu 245 comerciantes de Petrópolis e, desses, 65,8% relataram que tiveram perda ou queda de faturamento, enquanto 32,4% tiveram os estabelecimentos ou depósitos alagados pelas chuvas.

Além disso, o temporal também foi responsável por interromper 27% do abastecimento de insumos para o comércio local. 23,4% dos comerciantes disseram ter sofrido com a falta de funcionários, enquanto 22,5% dos empresários relataram danos na estrutura física de seus estabelecimentos, e pelo menos 20,7% relataram ter perdido mercadorias. Mais da metade, 53,2%, afirmaram que foram afetados em mais de uma forma pelas pancadas de água.

A Rua Teresa, principal via de comércio da cidade, está bastante afetada pelo temporal, e foi interditada por destroços.

Ainda segundo o IFec-RJ, 73,9% dos empresários do setor de bens, serviços e turismo acreditam que o acesso à linha de crédito emergencial seja a resposta para recuperar os prejuízos, enquanto 37,8% mencionaram a renegociação do pagamento com o fornecedor e/ou aluguel como caminho para contornar a situação. Outros 19,8% veem no fechamento temporário das atividades a resposta, e 6,3% falam em demitir os funcionários.

Chuva deixou mais de 100 mortos e centenas de desaparecidos

De acordo com o último balanço divulgado pela Defesa Civil no início da tarde hoje, o número de mortos pelo temporal que atingiu Petrópolis nesta semana subiu para 110. Mais de 370 pessoas estão desabrigadas. Pelo menos 35 nomes constam no cadastro de desaparecidos do MP-RJ (Ministério Público do Rio) e 24 foram resgatados com vida na região.

O trabalho do Corpo de Bombeiros continua em diferentes pontos da cidade. No bairro Alto da Serra, moradores auxiliavam os militares e agentes da Defesa Civil a cavar os escombros nas buscas por parentes.

Hoje, a Defesa Civil e os Bombeiros evacuaram a Rua Nova, na comunidade 24 de maio, após a região ter um novo deslizamento na tarde de hoje. Até o momento, não há confirmação de vítimas.

Governo do RJ sanciona repasse de R$ 30 milhões

O governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PL), sancionou repasse de R$ 30 milhões do Fundo Especial da Alerj (Assembleia Legislativa) à prefeitura de Petrópolis para socorrer a cidade após fortes chuvas.

Além do repasse, também foi autorizada a prorrogação dos calendários de pagamento de IPVA e ICMS na cidade para o segundo semestre deste ano. As medidas foram publicadas na edição de hoje do Diário Oficial do Estado.

O Ministério da Defesa autorizou o envio das Forças Armadas para atuar em conjunto com a Defesa Civil na região. A liberação das Forças foi assinada pelo ministro substituto, o general de Exército Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, e foi publicada na edição de hoje do DOU (Diário Oficial da União).

Os riscos de deslizamentos de terra permanecem "muito altos" nesta quinta-feira (17). O Ministério da Ciência, Tecnologia e Informações divulgou, em nota, que os acumulados de precipitações nas últimas 24 horas e nas últimas semanas elevam o nível de umidade do solo, o que pode gerar desastres mesmo sem novas chuvas.