PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Guedes diz que é 'absolutamente garantido' que Brasil vai crescer

Ministro da Economia, Paulo Guedes - Alan Santos/Presidência da República
Ministro da Economia, Paulo Guedes Imagem: Alan Santos/Presidência da República

Do UOL, em São Paulo

25/03/2022 17h49Atualizada em 25/03/2022 21h10

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou hoje, durante um evento sobre ação fundiária no Palácio do Planalto, que o Brasil está "em posição de deslanchar o crescimento". Apesar de não especificar como, ele disse ainda que é "absolutamente garantido que o país vai crescer".

"O Brasil caiu menos, voltou mais rápido e já está em posição de deslanchar o crescimento... Está absolutamente garantido que o país vai crescer. Apesar de toda turbulência, o Brasil tem uma dinâmica própria de crescimento baseada em taxa de investimento interno", explicou o ministro.

Também sem detalhar de que maneira, Guedes afirmou que irá "aprofundar" o atual programa social do governo federal, o Auxílio Brasil.

Criado de forma repentina no fim do ano passado, o Auxílio Brasil é a principal aposta do presidente Jair Bolsonaro (PL) na área social, mesmo tendo sido lançado em quase seu último ano de governo. O programa substituiu o Bolsa Família e paga pelo menos R$ 400 para cada família beneficiada.

"Não faz sentido um governo trilionário e o povo pobre. Vamos criar o fundo de erradicação da pobreza e vamos aprofundar o programa que o senhor começou", disse Guedes, dirigindo-se a Bolsonaro, também presente no evento.

2021 x 2022

Após desabar em 2020, o PIB (Produto Interno Bruto) do Brasil fechou 2021 em alta de 4,6%, totalizando R$ 8,7 trilhões. Analistas dizem que o bom desempenho ocorreu porque a comparação é com 2020, ano de forte queda por causa da pandemia do novo coronavírus.

O avanço de 4,6% no ano passado representa uma recuperação das perdas de 2020, quando a economia brasileira encolheu 3,9% devido à pandemia da covid-19. O mercado financeiro já esperava um crescimento de 4,5%, passada a fase mais intensa da crise sanitária.

Apesar do crescimento consistente em 2021, economistas do mercado financeiro projetam crescimento muito menor do PIB em 2022, de apenas 0,3%. A Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) acredita que economia brasileira não terá crescimento neste ano.