PUBLICIDADE
IPCA
-0,68 Jul.2022
Topo

Shein está perto de valer US$ 100 bi e se tornar 3ª maior startup do mundo

Embalagem usada pela Shein para enviar os produtos comprados no site - Reprodução
Embalagem usada pela Shein para enviar os produtos comprados no site Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

05/04/2022 14h17

A varejista chinesa de moda Shein pode receber um financiamento que deve elevar para 100 bilhões de dólares, ou 500 bilhões de reais, o seu valor de mercado, segundo a agência de notícias Bloomberg. Com isso, a startup se tornaria a terceira mais valiosa do mundo, atrás apenas da ByteDance, que administra o TikTok, e da Space X, empresa de viagens espaciais do bilionário Elon Musk.

Ainda de acordo com a agência, a meta é a captação de 1 bilhão de dólares neste ano.

Com apenas 10 anos de existência, a empresa pode passar a valer mais do que a H&M e Zara somadas.

Com vendas em 220 países, a loja é especializada em e-commerce de fast fashion, ou seja, no varejo da moda, sempre em constantes renovações. Para se ter ideia, cerca de 6 mil novos produtos são colocados no catálogo por dia.

Na pandemia, a Shein se tornou a maior varejista 100% on-line do mundo. Só no ano passado, foram quase 24 milhões de downloads do aplicativo, o mais baixado do setor de modas.

No Brasil, a empresa se consolidou ao oferecer preços mais acessíveis especialmente por meio de cupons de desconto. Por conta disso, um grupo de empresários brasileiro, incluindo Luciano Hang, dono da Havan, teria solicitado ao governo federal uma Medida Provisória que alterasse as regras tributárias para impor taxas em compras importadas.

Não há a confirmação oficial desse fato, mas o assunto gerou repercussão entre clientes, que criaram uma petição on-line contra essa possível taxa que afetaria não apenas compras na Shein, mas outras empresas como a Shopee e AliExpress, por exemplo.