IPCA
0,83 Mai.2024
Topo

Após salmonela na Europa, governo notifica dona do Kinder Ovo no Brasil

Governo pede que Ferrero esclareça informações sobre segurança do Kinder Ovo vendido no Brasil ou faça recall de lotes do chocolate - Reprodução
Governo pede que Ferrero esclareça informações sobre segurança do Kinder Ovo vendido no Brasil ou faça recall de lotes do chocolate Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

13/04/2022 09h46Atualizada em 14/04/2022 16h21

O Ministério da Justiça e Segurança Pública, por meio da Senacon (Secretaria Nacional do Consumidor), notificou a Ferrero do Brasil a prestar esclarecimentos sobre a segurança do chocolate Kinder Ovo no Brasil após o recall de lotes do produto no Reino Unido, medida que se estendeu aos Estados Unidos e Argentina como uma "retirada preventiva".

Na semana passada, agências do Reino Unido emitiram um alerta dizendo que investigam uma possível ligação de casos de salmonela com lotes do Kinder Surpresa fabricados na Bélgica. A fábrica foi fechada dias depois.

A Senacon determina que a Ferrero formalize o recall do chocolate Kinder no Brasil ou esclareça as medidas adotadas para evitar a infecção. Em nota ao UOL, a Ferrero ressaltou que nenhum dos produtos que sofreram recall são vendidos no Brasil e informou que, voluntariamente, entrou em contato com a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para esclarecer os fatos.

"A Ferrero Brasil informa que ainda não recebeu qualquer notificação oficial da Senacon sobre possíveis esclarecimentos em relação a episódios de intoxicação por salmonella em produtos da Kinder Europa e destaca que recebeu, a partir da imprensa, a informação sobre o caso."

A Ferrero reitera que o recall voluntário que vem sendo realizado em outros países refere-se apenas a produtos das linhas Kinder Surprise, Kinder Mini Eggs, Kinder Surprise Maxi 100g e Kinder Schokobons fabricados em Arlon, Bélgica. Estes produtos não são vendidos pela Ferrero no Brasil, portanto não há que se falar em retirada destes itens do país.
Trecho de comunicado da Ferrero no Brasil

Cerca de 150 casos de salmonela foram detectados em nove países da Europa —Espanha, França, Alemanha, Bélgica, Irlanda, Luxemburgo, Noruega, Holanda e Suécia. Em comunicado, agências europeias dizem ter identificado "produtos feitos com chocolate por uma empresa em sua linha de produção na Bélgica como origem do foco de salmonelose".

Apesar de não citar o nome da Ferrero, os casos de salmonela foram confirmados dias após o fechamento da linha de produção do chocolate Kinder na Bélgica. A maioria das infecções ocorreu em crianças menores de 10 anos.

A salmonela é um tipo de bactéria que pode causar transtornos gastrointestinais, como diarreia e cólicas estomacais, com frequência acompanhados de febre nas 48 horas seguintes ao consumo. É uma das intoxicações alimentares mais comuns.

Se a Ferrero no Brasil não fornecer esclarecimentos, a Senacon determinou que a empresa formalize o recall dos chocolates —a poucos dias da Páscoa. O prazo de resposta é de 72 horas a partir do recebimento da notificação.

"Considerando que, até então, a Ferrero do Brasil não emitiu comunicado aos consumidores, a Senacon notificou a empresa para garantir o direito à informação. A recomendação, em situação de recall no exterior de produto também comercializado no Brasil, é que a empresa informe às autoridades brasileiras competentes", informou a Senacon em comunicado.

"Caso os produtos não tenham chegado ao mercado brasileiro, o procedimento é arquivado. No entanto, se o produto tiver indícios de risco aos consumidores em território brasileiro, o fornecedor deve formalizar o recall imediatamente."

Leia o comunicado da Ferrero do Brasil na íntegra

A Ferrero Brasil informa que ainda não recebeu qualquer notificação oficial da Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), órgão que integra o Ministério da Justiça, sobre possíveis esclarecimentos em relação a episódios de intoxicação por salmonella em produtos da Kinder Europa e destaca que recebeu, a partir da imprensa, a informação sobre o caso.

Estamos em constante contato com as autoridades em todos os países em que operamos. No Brasil, a Ferrero entrou em contato voluntariamente com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), esclarecendo os fatos e colocando-se à disposição para quaisquer informações adicionais.

A Ferrero reitera que o recall voluntário que vem sendo realizado em outros países refere-se apenas a produtos das linhas Kinder Surprise, Kinder Mini Eggs, Kinder Surprise Maxi 100g e Kinder Schokobons fabricados em Arlon, Bélgica. Estes produtos não são vendidos pela Ferrero no Brasil, portanto não há que se falar em retirada destes itens do país.

Lamentamos esta situação. A segurança dos alimentos, a qualidade e o cuidado estão em nossa essência desde a fundação da empresa. Este sério episódio atinge o cerne do que defendemos e tomaremos todas as medidas necessárias para preservar a total confiança de nossos consumidores.

O que diz a Ferrero nesta quinta-feira (14/04)

Após contato do UOL, a empresa Ferrero, hoje, posicionou-se novamente, afirmando que recebeu a notificação da Secretaria da Defesa do Consumidor e relembrou o recolhimento voluntário de produtos de algumas de suas linhas. Leia o comunicado na íntegra abaixo.

"A Ferrero do Brasil informa que recebeu na tarde de quarta-feira (13) a notificação oficial da Secretaria da Defesa do Consumidor para esclarecimentos em relação a casos de intoxicação por salmonella em produtos da linha Kinder na Europa. Com total transparência, comunica que já está em contato com autoridades brasileiras prestando todas as informações necessárias.

A empresa reitera que o recall voluntário que vem sendo realizado em outros países refere-se *apenas* a produtos das linhas Kinder Surprise, Kinder Mini Eggs, Kinder Surprise Maxi 100g e Kinder Schokobons fabricados exclusivamente em Arlon, Bélgica. *A companhia não importou e não distribuiu esses produtos no Brasil.*

A Ferrero do Brasil permanece sempre à disposição pelos seus canais de atendimento para maiores informações: telefones 0800 7016 595 e , de segunda a sexta, das 9h às 18h."