PUBLICIDADE
IPCA
-0,68 Jul.2022
Topo

Cobertura no Leblon é vendida por R$ 42 milhões; o que tem de especial?

Cobertura no Leblon é vendida por R$ 42 milhões - Divulgação
Cobertura no Leblon é vendida por R$ 42 milhões Imagem: Divulgação

Gabriel Dias

Colaboração para o UOL

29/06/2022 04h00Atualizada em 29/06/2022 12h04

Uma cobertura no Leblon, zona sul do Rio, foi vendida por nada menos que R$ 42 milhões e causou espanto. O imóvel fica no Tom Delfim Moreira, um residencial de seis andares na orla da praia. Por trás dos valores exorbitantes que realçam a desigualdade social do país está um bairro valorizado e um empreendimento de luxo.

Previsto para ser entregue no primeiro semestre de 2024, o residencial já tem 80% dos apartamentos vendidos. Contudo, foi a venda da cobertura duplex de 501,56 m² que chamou a atenção.

O valor foi confirmado pelo UOL Economia. E olha que nem é o apartamento mais caro do Brasil -o posto, até recentemente, pertencia a um imóvel que era utilizado pela apresentadora Luciana Gimenez.

O imóvel fica em uma das regiões mais nobres do Rio de Janeiro, no local onde esteve a última casa que foi derrubada na orla do Leblon. A escassez de imóveis nesse estilo é um dos principais fatores que podem ter influenciado o preço da cobertura. Além disso, o residencial segue um projeto moderno e atual, alegando ser o único no Brasil com fachada 100% em vidro.

A Gafisa, construtora responsável pelo empreendimento, não confirmou nem comentou o valor da venda. "A empresa não divulga, por questões de confidencialidade, informações de seus clientes ou específicas das unidades comercializadas, seguindo a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD)".

O prédio tem design em linhas arredondadas e cores que se integram à paisagem. As varandas dos apartamentos são curvas para lembrar as ondas do mar e sem estruturas de metal para manter a vista privilegiada da praia e a iluminação natural. A ideia é passar a sensação de que "o oceano está dentro dos apartamentos", segundo material de divulgação do empreendimento.

Tecnologia com sustentabilidade

Cobertura no Leblon é vendida por R$ 42 milhões - Divulgação - Divulgação
Cobertura no Leblon é vendida por R$ 42 milhões
Imagem: Divulgação

A ideia é que o prédio tenha recursos tecnológicos e sustentáveis para garantir automação e segurança aos seus moradores. As fechaduras, por exemplo, serão eletrônicas, com senha, biometria e cartão de acesso. Recentemente, contudo, o influenciador Carlinhos Maia sofreu um furto em um prédio de alto padrão que também se vende com etapas de segurança e automação.

Um sistema de automação predial fará o controle de bombas de serviço e iluminação. Os elevadores funcionarão com um sistema regenerativo de energia.

Além disso, haverá uma sala de segurança com monitoramento 24 horas, detecção eletrônica de incêndio e pânico, gerador para as áreas comuns e para alguns pontos das unidades, entre outras soluções.

Cobertura no Leblon é vendida por R$ 42 milhões - Divulgação - Divulgação
Cobertura no Leblon é vendida por R$ 42 milhões
Imagem: Divulgação

Quem morar no residencial terá à disposição vários equipamentos como:

  • Academia;
  • Sala de reunião exclusiva para os moradores;
  • Sala para motoristas com copa;
  • Espaço para guarda de pranchas e bicicletas;
  • Guarita para o segurança;
  • Área de recebimento de encomendas.

Apartamentos personalizados

Cada apartamento possui uma planta flexível, para que os futuros moradores possam personalizar seu imóvel.

Para isso, no desenvolvimento dos projetos da estrutura e das instalações, a concepção dos pilares e prumadas foi realizada nas extremidades do edifício, deixando o meio do apartamento livre para uma customização total.

O prédio terá apenas seis unidades, sendo um apartamento por andar, com plantas em três tamanhos: a unidade do apartamento 101, no primeiro andar, terá 315,60 m² e contará com um terraço que a difere dos outros andares, em que o espaço será de 283,96 m². No sexto andar, a cobertura duplex terá 501,56 m².

Galeria de arte

Outro diferencial do residencial será a presença de obras de artistas brasileiros. Segundo a Gafisa, o lobby do prédio foi concebido como uma galeria de arte. Terá uma escultura do artista plástico Ernesto Neto e um quadro do artista Vik Muniz.

Oo edifício contará com uma obra exclusiva dos Irmãos Campana. Já a calçada em frente ao condomínio terá uma escultura da artista plástica mineira Iole de Freitas.

O projeto de arquitetura do Tom Delfim Moreira foi desenvolvido por Gensler, Sá & Almeida Paisagismo e Erick Figueira de Mello, na decoração das áreas comuns.

Um levantamento do QuintoAndar revela que o Leblon é o segundo bairro com o metro quadrado mais caro para se alugar no Rio. Enquanto a média na cidade para locação é de R$ 31,56/m², a do Leblon é R$ 53,1/m² - atrás só de Ipanema, por R$ 54,9/m².