IPCA
0,46 Jun.2024
Topo

Concurso, casamento: os planos de quem não recebeu passagem da 123 Milhas

Fotógrafo Alberth Klinsmann vai viajar com a esposa Bárbara Medeiros e, após 123 Milhas cancelar passagens, decidiu comprar novas e gastou quase R$ 5 mil - Arquivo Pessoal
Fotógrafo Alberth Klinsmann vai viajar com a esposa Bárbara Medeiros e, após 123 Milhas cancelar passagens, decidiu comprar novas e gastou quase R$ 5 mil Imagem: Arquivo Pessoal

Hygino Vasconcellos

Colaboração para o UOL, em Balneário Camboriú (SC)

27/08/2022 15h34Atualizada em 28/08/2022 21h06

Os planos frustrados de viagens de clientes que compraram passagens pela 123 Milhas, e que afirmam não terem recebido os bilhetes, são dos mais variados. Há consumidores que planejavam viajar para serem padrinhos de casamento, outros queriam participar de concursos, assistir a shows no Rock in Rio ou ainda ir para o exterior.

Em nota encaminhada ao UOL ontem, a 123 Milhas negou cancelamentos "deliberados", diz que houve erro e que "honra todos os compromissos". A empresa justifica que os clientes deveriam preencher um formulário 60 dias antes da data da viagem. "O não preenchimento a tempo implicará o cancelamento do pedido e não emissão da passagem", afirmou. UOL procurou novamente hoje a empresa que disse que os casos estão sendo tratados com "máxima prioridade" (veja nota abaixo). A reportagem também contatou o Procon-SP, que informou que monitora a situação.

Consumidores afirmam ao UOL que responderam ao formulário citado pela 123 Milhas, mas mesmo assim não receberam os bilhetes — a reportagem teve acesso ao comprovante de recebimento deste formulário, enviado pela empresa.

Já outros afirmam que nunca receberam o documento, mesmo após ter solicitado à empresa e que, por isso, foram impedidos de respondê-lo.

Férias no Nordeste

O almoxarife hospitalar Marcelo Oliveira da Silva, 40, comprou em março deste ano as passagens para passar as férias em Porto Seguro (BA) com a esposa, Ana Rosa Siqueira, 35. No pacote estava incluso as reservas em um hotel. Porém, ele não recebeu os bilhetes nem a reserva do hotel para a viagem, que deveria ocorrer até a terceira semana de agosto. Ele, que desembolsou R$ 1.054 com o pacote, afirma que encaminhou o formulário para a 123 Milhas.

Almoxarife hospitalar Marcelo Oliveira da Silva deveria viajar com a esposa Ana Rosa Siqueira até a terceira semana de agosto para Porto Seguro, mas os bilhetes não foram emitidos - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Almoxarife hospitalar Marcelo Oliveira da Silva deveria viajar com a esposa Ana Rosa Siqueira até a terceira semana de agosto para Porto Seguro, mas os bilhetes não foram emitidos
Imagem: Arquivo Pessoal

"Pela descrição [da promoção], 10 dias antes das datas escolhidas eles enviariam as reservas de hotel e passagens, mas nada aconteceu. No início, tinha atendente humano nos números aos quais eles disponibilizaram, contatos por email e WhatsApp também eram respondidos. Agora, nenhum canal de comunicação funciona, pelo menos comigo", conta da Silva, que se diz desapontado com a empresa.

"Era um um evento programado e, o pior, além do descumprimento do tratado, não ligaram, não entraram em contato para dar uma satisfação. Cadê a empatia?", afirma o cliente.

Rock in Rio

Karen Juliane Santos Arêde (de rosa) comprou em março deste ano passagens para ir com a irmã e o cunhado ao Rock in Rio - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Karen Juliane Santos Arêde (de rosa) comprou em março deste ano passagens para ir com a irmã e o cunhado ao Rock in Rio
Imagem: Arquivo pessoal

Já a estudante Karen Juliane Santos Arêde, 24, comprou em março deste ano passagens para ir com a irmã e o cunhado ao Rock in Rio, com saída em 31 de agosto de Porto Alegre. Inicialmente, ela comprou os bilhetes só para ela, mas logo depois adquiriu bilhetes também para os parentes. As passagens dela já foram emitidas, mas as do casal ainda não.

"Estamos com essa viagem programada desde setembro do ano passado, pois estou de mudança para o Rio de Janeiro e aproveitamos para ir ao show do Justin Bieber, o qual sonhamos há mais de 10 anos. Estamos muito frustrados por tudo isso, pois ela é fotógrafa e está trabalhando todo o dia para juntar dinheiro para fazer sua primeira viagem", afirma Karen.

Padrinhos de casamento

Esteticista Vivian Quaresma e o marido são padrinhos em um casamento na praia de Pipa, no Rio Grande do Norte. Porém, ainda não receberam bilhetes da 123 Milhas - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Esteticista Vivian Quaresma e o marido são padrinhos em um casamento na praia de Pipa, no Rio Grande do Norte. Porém, ainda não receberam bilhetes da 123 Milhas
Imagem: Arquivo Pessoal

A esteticista Vivian Quaresma, 37, adquiriu passagens em abril deste ano para participar de um casamento na praia de Pipa, no Rio Grande do Norte. Ela e o marido são padrinhos e gastaram R$ 932 com os bilhetes.

"Compramos e pagamos tudo, eu recebo todos os e-mails da 123 [Milhas] na minha caixa de entrada principal e não recebi o formulário. Consegui abrir um protocolo através do WhatsApp, me informaram que em até 5 dias corridos me dariam uma resposta, e até hoje nada", afirma.

Em 25 de agosto, Vivian foi informada que o caso dela estava sendo analisado e que "nos próximos dias farão contato com você para informar sobre o que poderá ser feito com relação a emissão do pedido". A esteticista está desempregada desde junho e diz que não tem como comprar novas passagens, que hoje giram em torno de R$ 3.000.

Custo de R$ 4.000 para cobrir cancelamento

O fotógrafo Alberth Klinsmann, 30 anos, gastou R$ 674,16 para adquirir duas passagens para ir de Natal para o Rio de Janeiro, onde iria comemorar seu aniversário, ir ao Rock in Rio e passar as férias com a esposa. A viagem ocorreria em 7 de setembro, com volta em 18 de setembro.

Ele adquiriu os bilhetes em março deste ano e, preocupado com a situação, contatou a empresa em julho. Em uma troca de emails, à qual UOL teve acesso, uma funcionária da 123 Milhas disse que era para aguardar e que, em até dez dias antes da viagem, os bilhetes seriam emitidos. Porém, em 23 de agosto, outra funcionária avisa que os bilhetes não poderiam ser enviados.

Como a esposa dele, Bárbara Medeiros, vai participar também de um concurso público em 10 de setembro em Cuiabá em meio às férias, o fotógrafo decidiu comprar novas passagens, nas quais pagou mais de R$ 4.000.

"Por esse e outros motivos a viagem era inadiável, não tinha como não ir. Quando eles mandaram o cancelamento, de imediato eu fui buscar novas passagens, mesmo pagando um preço absurdo. O que era quase R$ 700 virou mais de R$ 4.000", afirma.

Outras situações

O publicitário Lucas Andreão Agrizzi, 23, comprou em abril deste ano passagens para ir de Vitória para o Rio de Janeiro, em 7 de setembro, com retorno no dia 12 do mesmo mês. Ele iria com amigos aos shows no Rock in Rio. Agrizzi recebeu o formulário e encaminhou em 22 de julho, mas ainda não recebeu as passagens.

Me sinto frustrado demais, não tenho hábito de viajar de avião. Viagem são sonhos de muitas pessoas e eu sinto que a 123 milhas acabou com um sonho que eu tinha."
Lucas Andreão Agrizzi

O arquiteto Douglas Menezes de Santana, 29, comprou passagens para viajar com a namorada, a servidora pública Leyla Shayna Barros Lemos, 23. O casal adquiriu os bilhetes com saída em 2 de setembro de Aracaju para o Rio de Janeiro e também pretendiam ir ao Rock in Rio. Eles encaminharam o formulário em abril, após solicitarem à empresa. "Queria realizar o meu sonho de pré-adolescente de ir no show de Justin Bieber. Me sinto péssima, já chorei muito, sensação de impotência", disse.

O arquiteto e urbanista Weverton Jander, 26, tem viagem em família marcada para a próxima sexta-feira (2). Ele não encaminhou o formulário, mas entrou em contato com a empresa, que informou que era só aguardar pelos bilhetes até dez dias antes da viagem, que não foram enviados. "Me sinto enganado, estou com a viagem toda programada e receoso de não conseguir embarcar, o que me deixa triste que envolve a programação de 6 pessoas", afirma.

A diretora de inovação e marketing Maria Carolina Garcia, 37, vai participar de um casamento de uma amiga de infância em Portugal, em 9 de setembro, além de reuniões de trabalho em Madri na semana seguinte. As passagens foram compradas em 12 de junho, com saída de São Paulo no dia 4 de setembro. Ela também encaminhou o formulário e diz que foi "tratada com descaso, lesada e induzida ao erro."

A dentista Mariana Mota dos Santos, 29, tem viagem de Florianópolis para o Rio de Janeiro na próxima quarta-feira (1). Ela encaminhou o formulário, fora do prazo de 60 dias, mas a empresa disse que era só aguardar. "Todos os dias eu abro reclamação e ainda assim não obtenho resposta."

O biólogo e estudante de veterinária João Paulo Galvão Pacheco, 30, comprou passagens de Recife para São Paulo, onde iria com a namorada. A viagem está marcada para 5 de setembro. Ele não recebeu o formulário e entrou em contato com a 123 Milhas no começo de agosto. A passagem dele não foi emitida ainda.

Ontem, eu tive crise de ansiedade, minha pressão ficou alta, então já tive vários problemas com essa história toda."
João Paulo Galvão Pacheco

A jovem aprendiz Vitoria Jamylly, 18, comprou passagens em março para ir de Fortaleza até o Rio Janeiro, para acompanhar os shows do Rock in Rio. Além dos bilhetes de avião, ela adquiriu hospedagem com a 123 Milhas. Ela enviou o formulário em 13 de abril. "Como não obtive retorno, tive que desembolsar um alto valor de última hora para nova hospedagem, valor esse que juntei para meu turismo na viagem, o qual não vou usufruir por causa do descaso da empresa."

O engenheiro civil Paulo Luiz Lima Diniz iria na próxima sexta-feira (1º) de Florianópolis para Belo Horizonte, para participar do casamento de uma prima. Ele também encaminhou o formulário, no mesmo dia do recebimento, mas não recebeu as passagens. "Me sinto enganado."

O administrador Antonio Wendel Brito de Oliveira, 33, iria passar as férias no Rio de Janeiro a aproveitaria para assistir aos shows no Rock in Rio. A viagem estava prevista para a próxima sexta-feira (1º). Ele garante que nunca recebeu o formulário. Para a viagem, ele desembolsou R$ 9 mil, mas, por não receber as passagens, acabou comprando novas.

Estou me sentindo completamente lesado. A empresa não fornece nenhum suporte ao consumidor, os canais de comunicação são extremamente robotizados, você não consegue contato com ninguém, ouvir a voz de ninguém. Nas redes sociais a empresa limitou os comentários para que não haja repercussão negativa, não há ouvidoria, enfim, caímos em um golpe sem tamanho. Para mim é um prejuízo lastimável e sem tamanho. A gente passa tempos trabalhando, juntando grana e, no final, ver seu dinheiro e seus direitos indo pro ralo e o pior, ainda contrai mais dívida para poder honrar com os compromissos, algo irreparável. Só espero que a justiça seja feita."
Antonio Wendel Brito de Oliveira

O que fazer?

A advogada Fernanda Paim Azevedo sugere que os clientes lesados pela 123 Milhas acionem o Procon e registrem uma reclamação. Assim, o órgão estará ciente do número de reclamações e poderá tomar providências.

Ela diz que os consumidores têm o direito de exigir da empresa a emissão da passagem aérea ou receber o reembolso dos valores pagos pelos bilhetes. Eles também têm direito ao ressarcimento dos danos materiais como, por exemplo, valores perdidos no pagamento de hotéis, passeios, congressos. Dependendo do caso, segundo a advogada, é possível entrar com ação por danos morais. Para isso, é preciso guardar comprovantes dos pagamentos efetuados para a viagem, e-mails e mensagens trocadas com a empresa, diz a advogada.

Em nota, a empresa disse que os casos estão sendo tratados com "máxima prioridade", destacando que clientes que "cumpriram as regras necessárias" da promoção terão as passagens e/ou pacotes emitidos.

Leia a nota:

"Relativo ao problema operacional relacionado ao produto PROMO (Voos/pacotes com datas flexíveis), conforme matéria publicada pelo UOL, ontem, na data de 26/08/22, esclarecemos que os casos de todos os clientes impactados estão sendo tratados com máxima prioridade.

Todos os clientes que cumpriram as regras necessárias para a efetivação do pedido e que ainda não tenham recebido seus bilhetes por conta de alguma falha pontual em nossos processos, terão suas passagens/pacotes emitidos.

Aos passageiros que alegam que ainda não receberam seus bilhetes, informamos que, conforme as regras do produto "PROMO", o envio da passagem ocorre em até 10 dias de antecedência da viagem.

E quanto aqueles clientes que receberam o formulário e não responderam dentro do prazo com o(s) dado(s) do(s) passageiro(s), não terão seus bilhetes emitidos e serão reembolsados conforme as regras deste produto."