IPCA
0,46 Jul.2024
Topo

Com gasolina e alimentos em queda, prévia de setembro tem deflação de 0,37%

Recuo no preço dos combustíveis foi principal fator para resultado do mês, de acordo com IBGE - iStock
Recuo no preço dos combustíveis foi principal fator para resultado do mês, de acordo com IBGE Imagem: iStock

Do UOL, em São Paulo

27/09/2022 09h03

O IPCA-15 (Índice Nacional de Preços ao Consumidor - Amplo 15), conhecido como a prévia da inflação para o mês, registrou deflação de 0,37% em setembro, divulgou o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) hoje. O resultado foi influenciado principalmente pela queda no preço dos combustíveis, com destaque para etanol e gasolina. Houve também queda no grupo de alimentos, puxada por leite longa vida, tomate e óleo de soja.

Deflação é a inflação negativa, que sinaliza uma redução média nos preços. Apesar da queda no mês, o acumulado do índice em 2022 é de 4,63%, e o dos últimos 12 meses, 7,96%.

Este é o segundo mês consecutivo que o IPCA-15 registra inflação negativa. Em agosto, o índice foi de 0,73%.

Três de nove grupos registram queda

O IBGE destacou que apenas três de nove grupos de produtos e serviços pesquisados registraram queda nos preços. No entanto, dois desses são os que mais pesam para a composição do índice: Transportes e Alimentação e bebidas.

No grupo de Transportes, todos os combustíveis pesquisados registraram queda, com destaque para o etanol (-10,10%) e a gasolina (-9,78%). O valor médio do diesel (-5,4%) e do gás veicular (-0,3%) também caiu. O preço de passagens aéreas, porém, teve aumento de 8,2% no mês.

No grupo de Alimentação e bebidas, a queda da prévia em setembro indica redução em alimentos consumidos em casa, como:

  • leite longa vida (-12,01%)
  • tomate (-8,04%)
  • óleo de soja (-6,5%)

No ano (janeiro a setembro) os preços do leite ainda acumulam alta de 58,19%.

Outros itens populares tiveram alta no mês, com destaque para a cebola, cujos preços subiram 11,39% em setembro. Frango em pedaços (1,64%) e frutas (1,33%) também encareceram.

O outro grupo que registrou queda foi o de Comunicação, com redução nos preços de planos de telefone fixo (-6,58%) e pacotes de acesso à internet (-10,57%).

Os demais seis grupos pesquisados pelo IBGE tiveram alta, inclusive Saúde e cuidados pessoais, com aumento no preço de planos de saúde (1,13%), e Vestuário, com roupas femininas, masculinas e infantis (1,66%).

Veja o índice por grupo:

  • Vestuário: 1,66%
  • Saúde e cuidados pessoais: 0,94%
  • Despesas pessoais: 0,83%
  • Habitação: 0,47%
  • Educação: 0,12%
  • Artigos de residência: 0,24%
  • Alimentação e bebidas: -0,47%
  • Transportes: -2,35%
  • Comunicação: -2,74%

Como é calculado o IPCA-15? O indicador, que leva em consideração 465 subitens de produtos e serviços, capta a inflação para famílias com rendimento de 1 a 40 salários mínimos e abrange as regiões metropolitanas do Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Recife, São Paulo, Belém, Fortaleza, Salvador e Curitiba, além de Brasília e do município de Goiânia.

A metodologia utilizada é a mesma do IPCA. A diferença está no período de coleta dos preços e na abrangência geográfica.