IPCA
0,83 Mai.2024
Topo

Vai faltar ovo no mundo? O que sabemos da crise que esvazia prateleiras

No Brasil, preços dos ovos devem continuar elevados - Getty Images/iStockphoto
No Brasil, preços dos ovos devem continuar elevados Imagem: Getty Images/iStockphoto

Colaboração para UOL

25/01/2023 04h00

Consumidores de países como Estados Unidos, Inglaterra, Portugal e Nova Zelândia estão enfrentando neste início de ano uma escassez global de ovos de galinha.

Há explicações diferentes em cada país:

  • Nos Estados Unidos, a falta de ovos se deve principalmente a um surto de gripe aviária;
  • Na Europa, a oferta de ovos vem sendo afetada, além da gripe aviária, pela alta dos custos de grãos e energia elétrica em decorrência da guerra entre Rússia e Ucrânia;
  • Na Nova Zelândia, um processo gradual de zerar a criação de aves poedeiras em gaiolas que começou em 2012 tinha como limite 1º de janeiro de 2023. A mudança na legislação elevou os custos de produção e o aumento da demanda não acompanhou a novidade.

Apreensões na fronteira. Com a alta dos preços nos Estados Unidos, autoridades vêm aumentando as apreensões de ovos contrabandeados na fronteira com o México. Jennifer De La O, diretora de Operações de Campo de Alfândega e Proteção de Fronteiras (CBP) em San Diego, escreveu no Twitter que sua equipe:

Recentemente notou um aumento no número de ovos interceptados em nossos portos de entrada. Como lembrete, é proibida a entrada de ovos crus do México nos EUA. A não declaração de itens agrícolas pode resultar em multas de até US$ 10.000 (R$ 51 mil).

E no Brasil, pode faltar ovo? Não existe o problema da gripe aviária no território nacional, portanto, não devem faltar ovos para os consumidores brasileiros. O que pode acontecer, no entanto, é a manutenção de preços elevados devido a uma produção menor prevista para 2023.

A falta de chuvas em 2020 fez com que a safra do milho fosse 16% menor do que no período anterior, segundo a Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), elevando fortemente o preço dos grãos no país. Isso explica a queda na produção de ovos no Brasil em 2022, que deverá se manter neste ano.

Inflação. Segundo o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), o ovo de galinha subiu 18,45% em 2022. Já de acordo com uma pesquisa da cesta básica realizada pelo Procon-SP em convênio com o Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), em dezembro de 2022 a dúzia de ovos custou em média R$ 10,63 na cidade de São Paulo. Um ano antes o valor registrado foi R$ 8,26.