IPCA
0,42 Mar.2024
Topo

Valores a Receber: BC libera pedidos de saque de dinheiro esquecido

Os clientes de bancos vão poder pedir o saque do dinheiro e saber quanto vão receber no sistema de Valores a Receber - iStock
Os clientes de bancos vão poder pedir o saque do dinheiro e saber quanto vão receber no sistema de Valores a Receber Imagem: iStock

Do UOL, em São Paulo

07/03/2023 04h00

O sistema de Valores a Receber reabriu às 10h desta terça-feira (7), mas usuários relataram dificuldades para usar o sistema pelo excesso de consultas.

A partir de hoje, os clientes de bancos vão saber o valor do dinheiro esquecido e solicitar o saque.

Segundo o Banco Central, mais de 300 mil pessoas estavam na fila de espera às 10h11. Por volta das 16h, o número tinha sido reduzido para 60 mil pessoas e o tempo de espera para 3 minutos, segundo o BC.

Valores a Receber: Sistema do Banco Central para sacar dinheiro esquecido está congestionado - Reprodução - Reprodução
Valores a Receber: Sistema do Banco Central para sacar dinheiro esquecido está congestionado
Imagem: Reprodução

Até então o BC havia liberado apenas a consulta para a pessoa saber se tinha ou não dinheiro esquecido nas contas. Mas não era possível saber o valor nem realizar saques.

A consulta do valor disponível para saque pode ser feita no site do Banco Central (veja abaixo o passo a passo). Depois do pedido de devolução, o dinheiro será depositado em até 12 dias úteis, mesmo que a pessoa tenha selecionado para receber via Pix.

Quem tem dinheiro esquecido

  • Até esta segunda-feira (6), foram feitas 23,8 milhões de consultas para descobrir se há dinheiro esquecido ou não. O BC diz que 6,9 milhões dessas consultas (29% do total) têm dinheiro a receber.

Quantas pessoas vão receber por faixa de valor

  • Até R$ 10: 29.282.110 (62,55%)
  • Entre R$ 10,01 e R$ 100: 12.195.837 (26,05%)
  • Entre R$ 100,01 e R$ 1.000: 4.694.862 (10,03%)
  • Acima de R$ 1000,01: 643.105 (1.37%)

Veja como retirar o dinheiro

Passo 1

Acessar o site valoresareceber.bcb.gov.br e informe:

  • Pessoa física: CPF e data de nascimento
  • Pessoa jurídica: CNPJ e data de abertura

Passo 2

Faça login com a conta Gov.br (nível prata ou ouro).

Se o cidadão ainda não tiver conta nesse nível, deve fazer logo o cadastro ou aumentar o nível de segurança (no caso de contas tipo bronze) no site ou no aplicativo Gov.br.

Para valores de pessoa jurídica, precisa ter Conta gov.br com o CNPJ vinculado.

Passo 3

Leia e aceite o termo de responsabilidade.

Passo 4

Verifique o valor a receber, a instituição que deve devolver o valor e a origem (tipo) do valor a receber. O sistema poderá fornecer informações adicionais, se for o caso.

Passo 5

Clique na opção indicada pelo sistema:

  • "Solicitar por aqui": para devolução do valor via Pix, em até 12 dias úteis. O usuário deverá escolher uma das chaves Pix, informar os dados pessoais, e guardar o número de protocolo caso precise entrar em contato com a instituição.
  • "Solicitar via instituição": voltado para usuários que não têm Pix. Neste caso, será preciso entrar em contato pelo telefone ou e-mail informado para combinar com a instituição a forma de retirada.

Na tela de informações dos valores a receber, o cidadão deve consultar os canais de atendimento da instituição clicando no nome dela.

O cidadão vai ter que esperar em uma fila virtual se tiver muita gente querendo entrar no sistema ao mesmo tempo. O BC diz que o sistema vai informar o número de usuários na sua frente e a estimativa de tempo de espera.

Dinheiro esquecido em bancos poderá ser sacado

  • Consulta estava suspensa desde maio de 2022. O sistema permite sacar dinheiro esquecido em bancos e outras instituições financeiras.
  • O BC estima que R$ 6 bilhões estejam disponíveis para cerca de 38 milhões de pessoas físicas e 2 milhões de pessoas jurídicas.
  • Resgate poderá ser solicitado em março. Se ao fazer a consulta o resultado for positivo, o cidadão terá que retornar ao site no dia 7 de março, a partir das 10h, para solicitar a devolução.
  • Consulta de valores de pessoas falecidas é uma das novidades. Nesta nova fase também foram incluídas contas de pagamento pré ou pós-paga encerradas com saldo disponível, contas mantidas por corretoras e distribuidoras.
  • Dados vão ficar disponíveis para quem tem conta conjunta. Se um dos titulares solicitar o valor, o outro, ao entrar no sistema, conseguirá ver valor, data e CPF de quem solicitou.

O acesso para valores de falecidos será permitido para herdeiros, testamentários, inventariantes ou representante legal, informando os dados de contato da instituição responsável pelo valor e a faixa de valor.

Atenção para possíveis golpes

  • É importante ficar atento para não cair em golpes: nunca clique em links suspeitos enviados por e-mail, SMS, WhatsApp ou Telegram, nem faça qualquer tipo de pagamento para ter acesso aos valores.
  • Nenhuma instituição vai te pedir para fornecer dados pessoais ou senhas para liberar o dinheiro.
  • Todos os serviços do Valores a Receber são gratuitos.

Dinheiro esquecido

O Sistema de Valores a Receber permite que pessoas físicas e jurídicas consultem valores de:

  • Contas corrente ou poupança encerradas com saldo disponível
  • Tarifas cobradas indevidamente
  • Parcelas ou obrigações relativas a operações de crédito cobradas indevidamente
  • Cotas de capital e rateio de sobras líquidas de beneficiários de cooperativas de crédito
  • Recursos não procurados de grupos de consórcio encerrados
  • Contas de pagamento pré-paga e pós-paga encerradas com saldo disponível
  • Contas de registro mantidas por corretoras e distribuidoras encerradas com saldo disponível
  • Outros recursos disponíveis nas instituições para devolução

Filas no sistema de Valores a Receber

O Banco do Brasil afirmou que o SVR está funcionando a plena carga para atender a todos os interessados em recuperar os recursos "esquecidos" no sistema financeiro. Veja abaixo o posicionamento do banco:

"Como é comum em sistemas que recebem uma enorme quantidade de acessos em curto espaço de tempo, o SVR organiza automaticamente uma fila e informa ao usuário sua posição e previsão de atendimento. Esse mesmo procedimento é utilizado, por exemplo, na abertura da venda de ingressos para um show muito procurado.

Nessas primeiras horas de funcionamento, uma vez dentro do sistema, o tempo para os usuários requererem seus recursos tem sido menor que o esperado.

O SVR está adequando o cálculo do tempo esperado em fila para refletir essa experiência real dos usuários, o que deve reduzir a previsão em espera informada ao cidadão.

Naturalmente, passadas as primeiras horas de funcionamento a demanda deve diminuir e, consequentemente, as filas. O BC tranquiliza os cidadãos de que os recursos permanecerão a sua disposição pelo tempo que for necessário e que todos serão atendidos o mais rapidamente possível, sem necessidade de agendamento de horário certo como na primeira fase, em 2022."