IPCA
0,42 Fev.2024
Topo

Enterro em SP ficou mais caro, mas é possível economizar com tarifa social

Funeral social custa R$ 566 e pode ser pago em 60 dias - iStock
Funeral social custa R$ 566 e pode ser pago em 60 dias Imagem: iStock

Juliana Soane

Colaboração para o UOL, de São Paulo

17/04/2023 04h00Atualizada em 17/04/2023 14h06

Em março deste ano, os 22 cemitérios públicos de São Paulo e o crematório da Vila Alpina passaram a ser administrados pela iniciativa privada. Os preços subiram, mas há opções para quem não pode arcar com os custos de um funeral.

Quanto custa morrer em São Paulo?

A tabela de serviços funerários foi reajustada em cerca de 400%. Quando o serviço era oferecido pela prefeitura, o menor valor de um funeral com velório era de R$ 299,95; com a iniciativa privada, o serviço passou a custar no mínimo R$ 1.440.

A Prefeitura de São Paulo, porém, manteve as gratuidades previstas em lei. O funeral gratuito pode ser solicitado por famílias inscritas em programas sociais.

Também houve redução de 25% no valor do funeral social, que passou de R$ 755 para R$ 566. O serviço é oferecido para quem não tem condição de arcar com os custos de um enterro de imediato.

Quem tem direito ao funeral gratuito?

No funeral gratuito, não há direito a velório e é feito apenas o sepultamento. Os seguintes grupos têm direito ao benefício:

  • Famílias que recebam até três salários mínimos ou com renda per capita de até meio salário mínimo e esteja inscrita no CadÚnico
  • Pessoas em situação de rua nos últimos 12 meses, inscrito no Sisrua (Sistema de Atendimento do Cidadão em Situação de Rua)
  • Doadores de órgãos
  • Beneficiários do BPC (Benefício de Prestação Continuada)

O enterro gratuito pode ser feito em apenas cinco cemitérios da capital paulista:

  • Cemitério Dom Bosco (Perus)
  • Cemitério São Luiz (Santo Amaro)
  • Cemitério Saudade (São Miguel Paulista)
  • Cemitérios Vila Formosa 1 e 2 (Vila Formosa)

Quem tem direito ao funeral social?

Diferentemente do funeral gratuito, o funeral social inclui o velório. O enterro pode ser solicitado nos 22 cemitérios públicos de São Paulo.

Todos os moradores de São Paulo têm direito ao benefício. Não é necessário comprovar renda, basta solicitar a modalidade no ato da contratação.

Quem pedir o funeral social receberá um boleto no valor de R$ 566, que deverá ser pago em até 60 dias. Ao longo deste período, a família pode pagar a dívida ou se inscrever no Cras (Centro de Referência e Assistência Social), para ter a cobrança retirada.

Caso o titular não pague a dívida ou não se inscreva no Cras, ele não pode pedir um novo funeral social. Nessa situação, o devedor também pode ter o CPF negativado e ser cobrado judicialmente.

PUBLICIDADE
Errata: este conteúdo foi atualizado
Segundo a Prefeitura de São Paulo, quem optar pelo funeral social tem, sim, direito a velório. O texto foi corrigido.