IPCA
0,83 Abr.2024
Topo

PIB volta a crescer e avança 1,9% no 1º trimestre, puxado pelo agro

Do UOL, em São Paulo

01/06/2023 09h01Atualizada em 01/06/2023 11h57

O PIB (Produto Interno Bruto) do Brasil registrou crescimento de 1,9% no primeiro trimestre de 2023, na comparação com o último trimestre de 2022, informou hoje o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

O que aconteceu?

Resultado foi puxado principalmente pelo crescimento da agropecuária, que subiu 21,6% no período —o melhor resultado em 26 anos, desde o quarto trimestre de 1996. A soja, principal cultivo, deve ter aumento expressivo na produção anual, estimada em 24,7%.

Economia brasileira acelerou em relação ao trimestre anterior. Nos últimos três meses de 2022, o PIB teve queda de 0,1%, segundo dados revisados divulgados hoje. Na comparação com os três primeiros meses de 2022, houve crescimento de 4%.

Dados vieram melhores do que o esperado. A expectativa em pesquisa da Reuters era de expansão de 1,3% no primeiro trimestre de 2023 sobre os três meses anteriores.

Serviços também registraram alta. Setor que tem o maior peso para o indicador cresceu 0,6% no período, influenciado principalmente por bons resultados nos grupos Transportes e Atividades Financeiras, que cresceram 1,2% cada. Já a maior queda dentro do setor foi a de Informação e comunicação (-1,4%), o que analistas atribuíram a uma base de comparação alta, já que foi a atividade que mais cresceu com a pandemia.

Indústria fica no vermelho (-0,1%). Entre as atividades industriais, houve queda em Construção (-0,8%) e Indústrias de Transformação (-0,6%). Houve, porém, avanço em Indústrias Extrativas (2,3%) e Eletricidade e gás, água, esgoto, atividades de gestão de resíduos (1,7%).

Pela ótica da despesa, o consumo das famílias avançou apenas 0,2%. As despesa de consumo do governo cresceram 0,3%, enquanto que os investimentos (Formação Bruta de Capital Fixo) tiveram queda de 3,4%.

Estamos com previsão de safra recorde de soja, que representa aproximadamente 70% da lavoura no trimestre, com crescimento de mais de 24% de produção. A safra da soja é concentrada no primeiro semestre do ano. Ao compararmos o quarto trimestre de um ano ruim com um primeiro trimestre bom, observamos esse crescimento expressivo da Agropecuária
Rebeca Palis, coordenadora de Contas Nacionais do IBGE.

Perspectivas

Mesmo com a expectativa de números mais fracos para o resto do ano, mercado tem revisado para cima as projeções para o PIB. A estimativa para o crescimento da economia brasileira em 2023 passou de 1,20% para 1,26%, segundo a última pesquisa Focus do Banco Central. Já o governo trabalha com uma estimativa de crescimento de 1,9%.

Governo avaliou que o resultado eleva o viés positivo para projeção de crescimento para o ano. "O início da flexibilização monetária e as reformas fiscal e tributária, somadas ainda às medidas para desburocratizar e agilizar emissões no mercado de capitais tendem a reduzir incertezas, propiciando o retorno do investimento. A desaceleração esperada para a economia global e as condições monetárias que devem seguir restritivas, no entanto, ainda preponderam no cenário de atividade esperado para 2023", avaliou o Ministério da Fazenda.