Subway cobra até R$ 122 por sanduíche no delivery: 'Surreal como tá caro'

A Subway tem sido criticada pelos preços cobrados em aplicativos de delivery. Nas redes sociais, clientes compartilham prints de tela de ofertas de sanduíches com preços de até R$ 122. Diante da repercussão negativa, a rede diz que "está avaliando o ocorrido e irá reforçar as diretrizes da marca para com os franqueados".

Que preço é esse?

Os lanches da Subway têm preços diferentes no delivery. Uma loja próxima ao metrô São Bento, no centro de São Paulo, surpreendeu clientes neste mês ao anunciar o Sub Max de 30 cm Carne Supreme a partir de R$ 122,20 no iFood—a opção de 15 cm era oferecida por R$ 40,90. No Rappi, o mesmo sanduíche era encontrado a partir de R$ 69,90 (30 cm) e de R$ 39 (15 cm). A compra final fica mais cara com o acréscimo de itens como o dobro de algum ingrediente ou a inclusão de uma bebida e o frete da entrega, por exemplo.

O canal próprio de entregas da Subway não tem a opção oferecida no iFood e Rappi. A versão mais próxima é descrita como Carne Supreme, cujos preços variam de R$ 44 a R$ 52,80 (30 cm) e de R$ 26 e R$ 31,20 (15 cm). Essas opções custam até 40% mais nos apps parceiros, dependendo da loja. Ambos os sanduíches têm tiras de carne como principal ingrediente, mas o corte não é revelado.

A loja física cobra cerca de 50% mais barato em relação ao app. O Frango Teriyaki de 15 cm custa a partir de R$ 22,50 na unidade da Liberdade. O combo com bebida e cookie ou salgadinho sai por R$ 32,50. No delivery da Subway, a versão completa sai por R$ 33,70. Pelo iFood, só o lanche de 15 cm é vendido por R$ 31,90. Não havia oferta de combo no dia consultado pela reportagem, mas ao adicionar uma lata de refrigerante (R$ 8,80) e um biscoito (R$ 8,50), o preço final chegava a R$ 49,20.

'Quando ficou tão caro assim?'

Pessoas têm reclamado do cardápio inflacionado da Subway na internet. No Twitter há relatos de quem diz que ultimamente "está caro comer" e compartilham prints de tela dos valores cobrados nos sanduíches em compras no delivery. Nem todos se referem aos sanduíches de R$ 100. Um deles até afirma que um restaurante cobrou R$ 0,50 a mais para esquentar um lanche.

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

O que diz a Subway

Empresa diz que está avaliando os casos. Em nota enviada ao UOL, a Subway afirma que os preços nos apps parceiros estão fora da realidade da empresa. A rede informou que reforçará as diretrizes da marca com os franqueados e que fará um pente fino em todos os restaurantes nos canais de venda(veja abaixo a íntegra). O iFood disse que "toda estratégia de precificação dos cardápios é feita unicamente pelos estalebecimentos parceiros. O Rappi não se manifestou até a publicação desta matéria.

A unidade que anunciava sanduíche por R$ 122 mexeu nos preços após contato com UOL. Na sexta-feira (18), o preço do lanche Sub Max de 30 cm Carne Supreme passou para R$ 84,50, pelo iFood. Dias depois, caiu para R$ 78, após nova pesquisa feita pela reportagem na sexta-feira (25). O sanduíche menor, de 15 cm, segue à venda por R$ 40,90. Em outras lojas no app, o Sub Max grande chegava a R$ 94.

No Brasil, a Subway tem mais de 1.600 lojas franqueadas. A rede norte-americana, que tem 37 mil restaurantes globalmente foi vendida nesta quinta-feira (24) para uma empresa de investimentos. Em nota, a companhia brasileira diz que a sua operação será mantida como está. "Por questão contratual, a empresa tem a SouthRock como masterfranqueada para o Brasil desde 2022."

O que explica esses aumentos e quais os riscos para a marca

Print de promoção da Subway no iFood: de R$ 127,80 por R$ 100,80
Print de promoção da Subway no iFood: de R$ 127,80 por R$ 100,80 Imagem: Reprodução

Comida está mais cara no Brasil, mas não é apenas isso. A CEO da AGR Consultoria, Ana Paula Tozzi, afirma que a inflação dos alimentos ainda reflete no setor de restaurantes, embora em 2023 deva ser a menor em seis anos. Segundo ela, o repasse desse custo, somado às taxas praticadas de até 30% pelas plataformas encarece o preço final ao consumidor. Questionados pelo UOL, iFood e Rappi não informaram suas taxas médias.

Continua após a publicidade

O público-alvo da Subway tem poder de compra mais limitado. O professor de gestão estratégica de food service da ESPM, Sergio Molinari, avalia que esse cliente geralmente preenche os seguintes requisitos: são jovens sem renda própria significativa ou que estão em começo de carreira e, ainda, pertencem a uma classe social mais baixa. Ele acredita que os consumidores estão inclinados a trocar de restaurante, uma vez que R$ 100 podem pagar refeições mais elaboradas ou até mesmo parecidas, como hambúrgueres.

Vender sanduíches a preços tão elevados traz riscos para a marca. Ana Paula diz que a Subway precisa repensar o cardápio disponível nos deliveries parceiros. "Um restaurante que entra em um canal [de entregas] de novo tem que começar com poucas opções para depois surpreender o consumidor com a entrada de novas ofertas [...] Você quer comer na sua casa o Subway Teriyaki Vegetariano de 15 cm do mesmo jeito que você come na loja da Subway", diz.

É incabível pagar R$ 122 em um sanduíche, principalmente da Subway, que tem o custo-benefício como entrega de valor para o cliente. Faz sentido vender Subway a esse preço para o consumidor final? Não faz.
Ana Paula Tozzi, CEO da AGR Consultoria

Esse consumidor [da Subway] é sensível ao preço no delivery e também na lanchonete. E reage nas redes sociais porque provavelmente quer passar um sinal para a Subway de que o preço não é muito justo pelo que ele paga.
Sergio Molinari, especialista em food service

Veja a íntegra da nota da Subway

"A respeito das situações mencionadas, a Subway afirma que o franqueado pode aplicar um valor que se adequa a realidade de sua região, seguindo sempre um preço orientado e sugerido pela marca em todo o país.

Continua após a publicidade

No entanto, os preços e condutas em questão não condizem com as práticas e padrões da empresa e Subway afirma que está avaliando o ocorrido e irá reforçar as diretrizes da marca para com os franqueados.

Ainda, reforçamos que iremos analisar todos os restaurantes da marca nos canais de venda, tendo sempre como objetivo oferecer a melhor experiência para os consumidores. Por fim, reafirmamos o nosso compromisso com a transparência e comunicação assertiva com todos os nossos consumidores."

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora