Conteúdo publicado há 6 meses

Leilão do Desenrola abate R$ 126 bi em dívidas com desconto médio de 83%

A fase de leilões do Desenrola Brasil abateu R$ 126 bilhões em dívidas, com desconto médio de 83%, anunciou hoje o Ministério da Fazenda.

O que aconteceu

Programa concluiu fase de leilões na última quarta (27). Segundo o ministério, o programa concedeu R$ 126 bilhões em descontos para dívidas bancárias e não bancárias - como conta de luz, água, varejo, educação, entre outras. Foram R$ 59 bilhões para dívidas até R$ 5 mil reais e 68 bilhões para dívidas entre R$ 5 mil e R$ 20 mil.

Valor médio do desconto foi de 83%. Os maiores descontos foram de dívidas de cartão de crédito, que chegaram a 96%.

Com nomes limpos, inadimplentes podem voltar a consumir. "O programa beneficia tanto aquele que vai ter seu nome limpo quanto a economia em geral. Com essa quantidade de dívida renegociada, entra mais caixa no balanço das empresas e elas vão poder voltar a investir", disse o secretário de Reformas Econômicas do Ministério da Fazenda, Marcos Pinto.

O programa pode ser considerado um enorme sucesso. Não esperávamos esse resultado, R$ 151 bilhões [em dívidas] se transformaram em R$ 25 bilhões com os descontos aplicados.
Fernando Haddad, ministro da Fazenda

Haddad disse que Desenrola entrará agora na última fase, que pode atingir até 32 milhões de pessoas. Nessa etapa, o consumidorpoderá ingressa na plataforma para renegociar dívidas com desconto e pagá-las à vista ou em até 60 meses, com juros de até 1,99% ao mês. A abertura está prevista para o início de outubro.

Prioridade será para as dívidas com valor atualizado até R$ 5 mil. Poderão participar pessoas que ganham até dois salários mínimos ou que estejam inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do governo federal (CadÚnico), com dívidas de valores atualizados em até R$ 20 mil.

Para próxima fase, ministério recomenda que usuários tenham cuidado e só usem o site oficial do programa. "[A plataforma] certifica todos os passos e dá garantia que a dívida está sendo paga. Não se deve usar nenhum instrumento que não seja esse, o site do Desenrola e o Gov.br para se cadastrar, porque aí você vai ter segurança", disse Haddad.

É possível consultar como fazer o cadastro no site do Ministério da Fazenda. Para ingressar na Plataforma e poder renegociar as dívidas é preciso fazer antes o cadastro no gov.br em contas prata ou ouro. Saiba como criar.

Deixe seu comentário

Só para assinantes