Lembra desses picolés? O que aconteceu com a Yopa, queridinha nos anos 1990

Marca de sorvetes queridinha nos anos 1990, a Yopa conquistou seu espaço entre os brasileiros por sua forte identificação com o público jovem. Entenda a trajetória.

O sucesso da Yopa estava ligado a sorvetes criativos. O portfólio tinha, por exemplo, o picolé Comics, com a imagem do Mickey, além do famoso sorvete Sem Parar. O nome Yopa, simples e divertido, também impulsionava a marca.

A marca de sorvetes Yopa atingiu seu auge nos anos 1990
A marca de sorvetes Yopa atingiu seu auge nos anos 1990 Imagem: Reprodução

A Yopa, originalmente, era uma marca alemã (o nome era Jopa) que foi comprada pela gigante de alimentos suíça Nestlé, em 1960. A marca já tinha experiência em mercados como Suíça, França, Espanha, Argentina, Chile e México, quando, em 1972, chegou ao Brasil.

Inovação no mercado. Além de sabores diferentes, foram introduzidas no mercado linhas e formatos inovadores de picolés, como os chamados lolly pops, os jatinhos e os cones. Ao longo dos anos, a Yopa expandiu seu leque de produtos: passou a fabricar sorvetes para consumo como sobremesa, ampliando sua presença no mercado de distribuição.

A Yopa atingiu seu auge nos anos 1990, quando a Nestlé fechou uma parceria com a concorrente Gessy Lever (atual Unilever). Juntas, criaram a joint venture Insol Indústria de Sorvetes, para gerenciar as marcas Yopa (Nestlé) e Gelato (da Gessy Lever). A parceria ajudou a catapultar a Yopa. Em 1993, a Gessy Lever venderia sua participação na Insol para a Nestlé.

No início do ano 2000, a marca começou a perder terreno. Pesquisas de mercado apontavam preferência crescente pelos produtos da própria Nestlé. Com isso, a resposta estratégica da Nestlé foi substituir gradualmente a marca Yopa pela própria identidade corporativa. A medida resultou no desaparecimento gradual da Yopa do mercado brasileiro —as embalagens passaram a ter a logomarca da Nestlé.

Continua após a publicidade

Estratégia deu certo, mas marca resiste no imaginário popular. Embora tenha marcado o fim da Yopa como a conhecíamos, a transição consolidou a posição da Nestlé no concorrido mercado de sorvetes.

Errata:

o conteúdo foi alterado

  • A matéria apontou incorretamente que a Unilever seria o antigo nome da Gessy Lever. Na verdade, é o atual. O conteúdo foi corrigido.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes