IPCA
0,1 Out.2019
Topo

BC da Índia mantém juros e pressiona bancos a reduzir taxa de empréstimo

03/02/2015 09h39

MUMBAI (Reuters) - O banco central da Índia deixou inalterada a taxa de juros nesta terça-feira, ao mesmo tempo em que decidiu aumentar a liquidez dos bancos em uma tentativa de convencê-los a reduzir as taxas de empréstimo depois de eles terem falhado e passar à frente os benefícios do último corte de juros há três semanas.

O banco central indiano manteve sua principal taxa de juros em 7,75 por cento, como esperado por analistas, deixando sua próxima redução para provavelmente depois de o governo apresentar seu orçamento anual no final deste mês.

"Dado que não tem havido nenhum novo acontecimento substancial relativo ao processo desinflacionário ou sobre o cenário fiscal desde 15 de janeiro, é apropriado para o banco central manter a atual postura de juros", disse o BC em seu comunicado.

Em vez disso, para estimular os bancos a emprestar mais e reduzir suas taxas de empréstimo, o banco central cortou a parcela mínima de depósitos líquidos que os bancos têm que manter em títulos do governo, dinheiro ou ouro em 0,5 ponto percentual, para 21,5 por cento, a partir de 7 de fevereiro.

Apenas três dos 45 bancos comerciais da Índia cortaram as taxas de juro de empréstimo após a redução dos juros pelo banco central em 0,25 ponto em 15 de janeiro, afetando a tentativa do governo de elevar o investimento empresarial.

(Por Rafael Nam e Neha Dasgupta)

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Economia