Topo

Moody's: maior risco de impeachment de Dilma piora perspectiva para Brasil

Por Alonso Soto

24/02/2016 13h12Atualizada em 24/02/2016 16h34

BRASÍLIA, 24 Fev (Reuters) - O aumento de risco de impeachment da presidente Dilma Rousseff está novamente alimentando as incertezas e obscurecendo a perspectiva para o Brasil, disse a analista da Moody's para o Brasil, Samar Maziad, em entrevista à agência de notícias Reuters nesta quarta-feira (24).

A Moody's cortou a nota da dívida do Brasil em dois degraus mais cedo, levando o país ao grau especulativo, movimento que Samar disse não ser comum, mas que reflete a magnitude da deterioração das contas do país.

"No ano passado houve muitas conversas sobre impeachment que ganharam ímpeto e, então, perderam, e que podem ganhar força de novo. Ninguém sabe. Isto é incerteza e, para nós, a incerteza não é positiva, e essa incerteza está refletida na perspectiva", afirmou.

Nesta semana, surgiram avaliações de que o risco de impedimento da presidente aumentou após a prisão do marqueteiro das duas campanhas presidenciais de Dilma, João Santana.

Ele foi preso como parte da 23ª fase da Lava Jato, deflagrada na segunda-feira. Ele é suspeito de receber pagamentos milionários ilegais no exterior vindos do esquema de corrupção na Petrobras por serviços prestados para campanhas eleitorais do PT no Brasil.

Entenda o que é o ajuste fiscal do governo em um minuto

UOL Notícias

Mais Economia