Ações chinesas atingem máxima em quase 3 meses com medidas de estímulo

XANGAI/TÓQUIO (Reuters) - As ações chinesas subiram nesta terça-feira (5) para o maior nível em quase três meses, com uma série de medidas do governo e dados econômicos melhores reanimando o apetite dos investidores por ativos de risco, embora os volumes baixos indiquem que a confiança continua frágil.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, avançou 1,32%, enquanto o índice de Xangai teve alta de 1,46%. Ambos os índices fecharam em sua máxima desde 8 de janeiro.

Pequim apresentou políticas para ajudar a economia, incluindo mais investimento em infraestrutura, reformas tributárias e planos de troca de dívida por ações para ajudar a aliviar os problemáticos portfólios de empréstimos dos bancos.

Porém, os mercados do restante do continente recuaram, pressionados pela queda dos preços do petróleo e mensagens mistas das autoridades do Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, sobre a perspectiva de aumento dos juros.

  • Em Tóquio, o índice Nikkei recuou 2,42%, a 15.732 pontos.
  • Em Hong Kong, o índice Hang Seng caiu 1,57%, a 20.177 pontos.
  • Em Xangai, o índice SSEC ganhou 1,46%, a 3.053 pontos.
  • O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, avançou 1,32%, a 3.264 pontos.
  • Em Seul, o índice Kospi teve desvalorização de 0,82%, a 1.962 pontos.
  • Em Taiwan, o índice Taiex não abriu para negócios.
  • Em Cingapura, o índice Straits Times desvalorizou-se 1,21%, a 2.800 pontos.
  • Em Sydney, o índice S&P/ASX 200 recuou 1,42%, a 4.924 pontos.

(Reportagem por Samuel Shen, Nathaniel Taplin e Lisa Twaronite)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos