Governo organiza encontros com investidores para venda de ativos estatais

Alonso Soto, Guillermo Parra-Bernal e Tatiana Bautzer

BRASÍLIA/SÃO PAULO (Reuters) - O governo brasileiro pretende realizar uma série de encontros com investidores para dar publicidade a um amplo plano de venda de ativos, uma iniciativa chave para ajudar a levantar recursos e reduzir o rombo orçamentário recorde, disseram uma autoridade sênior e pessoas familiarizadas com o tema à agência de notícias Reuters.

Segundo o secretário-executivo do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), Wellington Moreira Franco, uma rodada dos chamados roadshows é considerada como passo necessário para divulgar os ativos e a estrutura legal e regulatória por trás do programa. Ele não deu um cronograma nem disse quais ativos serão vendidos.

Porém, cinco fontes com conhecimento do plano disseram à Reuters na última semana que Moreira Franco e o ministro das Relações Exteriores, José Serra, liderarão os roadshows, que podem ocorrer em Nova York, Londres e outros centros financeiros. Duas das fontes disseram que as apresentações estão agendadas para meados de julho.

A lista de ativos prontos para venda ainda está em produção. O governo do presidente interino, Michel Temer, quer vender fatias majoritárias na unidade de distribuição de combustíveis da Petrobras e na elétrica Furnas, e algumas das instalações operadas pela Infraero, acrescentaram as fontes.

Moreira Franco disse que a meta do programa é ajudar a criar empregos no momento em que o Brasil enfrenta recessão econômica e queda de preços de commodities. Além disso, o plano pode ajudar o país a levantar recursos extras para reduzir o déficit que a maior parte dos economistas prevê que irá superar 10% do PIB (Produto Interno Bruto) neste ano.

"É hora de acabar com o monólogo do governo e começar a construir soluções com nossos parceiros", disse Moreira Franco no fim de sexta-feira, acrescentando que o modelo legal e de investimentos será projetado de forma que potenciais ofertantes "se sintam seguros e confiantes".

Pode ser a mais ambiciosa investida para realizar privatizações no Brasil em duas décadas.

A autoridade de investimentos do Catar, Abu Dhabi Investment Co PJSC, e a Mubadala Development Co PJSC estão entre os fundos soberanos convidados para comparecer aos roadshows, disseram três das fontes. Empresas de investimentos canadenses e companhias de infraestrutura europeias também foram contatadas, acrescentaram as mesmas fontes.

Moreira Franco não quis dar uma estimativa de quanto o governo pode arrecadar com vendas de ativos, embora duas das fontes tenham dito que os recursos podem variar entre US$ 10 bilhões e US$ 20 bilhões nos dois próximos anos.

Alguns dos maiores bancos de investimento que operam no Brasil também comparecerão às reuniões, muitos deles representando potenciais compradores, acrescentaram as fontes.

Em comunicado à Reuters, o gabinete de Temer disse que o governo "pretende transferir para investidores privados diversos ativos, fatias e empresas, embora ainda esteja analisando quais deles e quais outros permanecerão nas mãos do governo".

Porta-vozes do gabinete de Serra não comentaram. Porta-vozes dos fundos soberanos e das empresas canadeneses, incluindo a Brookfield Asset Management, não tinham comentários imediatamente.

(Reportagem adicional de Ethan Lou em Toronto)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos