Bolsas

Câmbio

Bolsas chinesas se recuperam após "não" do MSCI, região espera Fed

CINGAPURA/TÓQUIO (Reuters) - As bolsas chinesas tiveram a maior alta em duas semanas nesta quarta-feira (15), revertendo as perdas anteriores uma vez que os investidores deixaram de lado a decisão do MSCI de não adicionar as ações do país a um de seus principais índices.

Operadores disseram que os investidores já esperavam um "não", como refletido na queda de mais de 3% na segunda-feira, com alguma busca por barganha no processo.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, teve alta de 1,31%, enquanto o índice de Xangai subiu 1,57%.

Eles haviam aberto com cerca de 1% de baixa, uma vez que alguns investidores que haviam se agarrado às expectativas de inclusão pelo MSCI desfizeram suas apostas.

No restante da região, permanecia a expectativa em torno do anúncio nesta sessão da decisão de política monetária do Federal Reserve, banco central norte-americano, e as preocupações com a possibilidade de a Grã-Bretanha deixar a União Europeia (UE).

  • Em Tóquio, o índice Nikkei avançou 0,38%, a 15.919 pontos.
  • Em Hong Kong, o índice Hang Seng subiu 0,39%, a 20.467 pontos.
  • Em Xangai, o índice SSEC ganhou 1,57%, a 2.886 pontos.
  • O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, avançou 1,31%, a 3.116 pontos.
  • Em Seul, o índice Kospi teve desvalorização de 0,16%, a 1.968 pontos.
  • Em Taiwan, o índice Taiex registrou alta de 0,35%, a 8.606 pontos.
  • Em Cingapura, o índice Straits Times valorizou-se 0,21%, a 2.774 pontos.
  • Em Sydney, o índice S&P/ASX 200 recuou 1,08%, a 5.147 pontos.

(Reportagem de Samuel Shen, Elias Glenn, Nichola Saminathere Hideyuki Sano)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos