Bolsas

Câmbio

Gol negocia parcerias para ampliar atendimento a destinos regionais

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A Gol está negociando parcerias com companhias aéreas de menor porte para aumentar os destinos regionais atendidos pela empresa, afirmou nesta quinta-feira o diretor-executivo de assuntos corporativos, Alberto Fajerman.

"A meta é chegar a 80 destinos em todo o país até o fim deste ano e começo do próximo", disse o executivo à Reuters, com aumento do atendimento via as parcerias para destinos regionais.

De acordo com ele, a Gol transporta atualmente clientes para 63 destinos no Brasil, sendo 52 com aviões próprios para destinos domésticos (dos quais 18 são regionais) e 9 com a Passaredo Linhas Aéreas, através da associação na qual a Gol vende bilhetes da companhia.

Além de aprofundar a combinação com a Passaredo, companhia com quem as negociações já estão bem adiantadas, Fajerman disse que a Gol também está em processo de avaliação de parcerias com outras três empresas, entre elas a Two Flex, de Jundiaí (SP).

Ele disse que a Gol busca nesses acordos integrar mais as operações e principalmente conectar a malha das parceiras à da companhia.

A aviação regional foi fortemente afetada pela crise na economia brasileira, que reduziu a demanda de passageiros e levou as companhias a cortarem a oferta a fim de manter a rentabilidade de seus voos.

De acordo com Fajerman, a Gol não abre mão de manter uma frota padronizada por questões de eficiência, assim, cidades que viram a demanda cair e não justificam um avião de 138 lugares, por exemplo, podem ser atendidas pela empresa por meio de aeronaves menores de parceiros.

"A Gol quer servir o maior número de destinos, mas com rentabilidade; e para isso precisa de um avião com número de lugares certo", disse o executivo. "Sem mudar o conceito de frota vamos atingir cidades que não chegávamos."

Ele afirmou ainda que esses acordos são um meio da empresa se posicionar no caso do plano de aviação regional do governo federal deslanchar. "É evidente que não gostaríamos de perder a oportunidade de prover serviço aéreo para essas cidades."

O movimento da Gol também é um meio de enfrentar a concorrente Azul Linhas Aéreas, que tem em sua frota aviões turboélices, com menor número de assentos disponíveis e que recebeu injeção de 450 milhões de dólares da chinesa Hainan Airlines no ano passado.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos