BHP quer sair do setor de "shale" em dois anos; também está vendendo área de níquel

Por James Regan

SYDNEY (Reuters) - A BHP Billiton disse nesta quinta-feira que pretende acabar completamente com seu negócio de "shale oil" em terra, um tipo de petróleo não convencional, que passa por dificuldades, nos próximos dois anos e que também está em busca de um comprador para seu negócio de níquel na Austrália.

O novo impulso para sair de ambos os segmentos, que a maior mineradora do mundo já não considera como estratégicos, vem à medida que os preços do petróleo e do níquel registram recuperação no mercado.

"A Nickel West não é essencial, o 'shale' não é essencial", disse o CEO da BHP, Andrew Mackenzie, a jornalistas na sequência da reunião anual da empresa em Melbourne.

Os preços do níquel estão cerca de 16 por cento acima dos níveis de janeiro, enquanto os do petróleo subiram em torno de 9 por cento.

"Consideramos que veremos preços razoáveis para o petróleo no futuro, o que é bom para os negócios que retemos e também para o processo de vendas", disse Mackenzie.

A BHP entrou no negócio de "shale" no auge do boom do setor, em 2011, e investiu bilhões no desenvolvimento das operações. Uma queda subsequente nos preços do petróleo, contudo, resultou em amortização antes de impostos de cerca de 13 bilhões de dólares.

Uma saída do negócio de "shale" é uma das principais demandas de acionistas ativistas liderados pela Elliott Management, com sede em Nova York, que têm pressionado por uma mudança de estratégia na mineradora global.

A BHP adquiriu a Nickel West em 2005, e diversas tentativas de vendê-la no passado falharam.

(Reportagem adicional de Melanie Burton, em Melbourne)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos