Bolsas

Câmbio

Grupo Volkswagen destina US$11,8 bi para desenvolver e montar modelos elétricos na China

GUANGZHOU/PEQUIM (Reuters) - O Grupo Volkswagen disse nesta quinta-feira que planeja investir 10 bilhões de euros (11,8 bilhões de dólares) até 2025 para desenvolver e fabricar veículos híbridos e totalmente elétricos, à medida que busca cumprir as regras rigorosas na China.

O grupo, que inclui a Volkswagen e Audi, pretende lançar 15 dos chamados novos veículos elétricos (NEV, na sigla em inglês) nos próximos dois a três anos, e mais 25 modelos após 2025, disse à Reuters o diretor para China da empresa, Jochem Heizmann, nesta quinta-feira.

As cotas de produção e venda de NEV no país, que devem ser atendidas até 2019, provocaram uma enxurrada de negócios de carros elétricos e novos lançamentos, já que as montadoras chinesas competem para garantir que estarão dentro dos limites de produção. Os fabricantes de automóveis que ficarem abaixo das metas terão de comprar créditos com outras empresas.

Atualmente, a Volkswagen tem cerca de 10 NEVs no mercado chinês, embora todos sejam modelos importados com volumes de vendas limitados, de acordo com uma porta-voz da empresa.

Heizmann, falando antes da Feira de Automóveis de Guangzhou, acrescentou que o grupo pretende vender 400 mil novos veículos elétricos por ano na China até 2020 e 1,5 milhão por ano até 2025. Os NEVs referem-se a carros de bateria totalmente elétricos e híbridos plug-in fortemente eletrificados.

Heizmann disse que alguns desses modelos terão autonomia de 400 a 600 quilômetros com uma única carga completa. Em comparação, o Model S da Tesla tem uma autonomia de 490 a 632 quilômetros dependendo da capacidade da bateria, de acordo com a empresa.

O Grupo Volkswagen também está confiante de que suas empresas e seus parceiros de joint ventures locais poderão gerar um volume de vendas de elétricos suficiente para atingir as cotas até 2019, disse Heizmann, acrescentando que não haverá necessidade de comprar créditos.

A Feira de Automóveis de Guangzhou começa na sexta-feira.

(Por redações em Pequim e Hong Kong)((Tradução Redação São Paulo; +55 11 56447745))REUTERS TH RBS

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos