Thyssenkrupp tem número recorde de pedidos em meio a reestruturação

Por Christoph Steitz e Tom Käckenhoff

ESSEN, Alemanha (Reuters) - A demanda por elevadores de última geração e componentes de veículos permitiu que a Thyssenkrupp obtivesse o maior número de pedidos anual em cinco anos, enquanto a empresa alemã vai deixando gradualmente a produção de aço.

A Thyssenkrupp está passando por uma enorme reestruturação sob o comando do presidente-executivo, Heinrich Hiesinger, aproximando-se da tecnologia e deixando a volátl indústria de aço, seu tradicional esteio.

A companhia vendeu a deficitária unidade brasileira Companhia Siderúrgica do Atlântico (CSA) para a Ternium e fechou um acordo para combinar seu negócio europeu de aço com o da indiana Tata Steel em 2018.

"Os problemas estruturais do setor de aço europeu não desapareceram. Ainda temos excesso de capacidade significativo no estagnado mercado de aço europeu", disse Hiesinger nesta quinta-feira.

Enquanto reduz lentamente sua dependência de aço, a Thyssenkrupp está apostando seu futuro na unidade de elevadores, a mais lucrativa da empresa, assim como na demanda do setor automotivo, seu maior grupo de clientes, que corresponde a cerca de um quarto das vendas.

O número de pedidos da ThyssenKrupp subiu 18 por cento, para 44,29 bilhões de euros no ano financeiro até 30 de setembro, enquanto o lucro ajustado antes de juros e impostos (Ebit) totalizou 1,91 bilhão de euros, superando o 1,73 bilhão esperado por analistas consultados pela Reuters.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos