Bolsas

Câmbio

Assaí cumpre em um mês quase 50% de meta de novas lojas para 2017, manterá ritmo em 2018

SÃO PAULO (Reuters) - A rede de atacarejo do GPA , Assaí, abriu em 35 dias 9 lojas, conseguindo com isso quase cumprir a meta de 20 aberturas neste ano, o que permite à empresa vislumbrar até antecipação de inauguração de 2018 ainda neste ano.

As nove lojas abertas desde o final de outubro adicionaram à área de vendas do Assaí 36 mil metros quadrados e levaram a empresa que mais tem crescido nos resultados do GPA para dois novos Estados, Minas Gerais e Piauí.

As aberturas consumiram investimentos de cerca de 250 milhões de reais e representaram o maior movimento de aberturas da rede desde 14 inaugurações em 2013, afirmou o presidente da rede de atacarejo, Belmiro Gomes.

"Ainda faltam duas lojas para cumprirmos o plano de 20 aberturas neste ano, mas ainda podemos abrir três... já estamos em condição de antecipar uma (abertura) de 2018 neste ano", disse o executivo em entrevista à Reuters.

Das nove aberturas, seis corresponderam a conversões de lojas onde antes operavam supermercados da bandeira Extra, do GPA. Gomes afirmou que o investimento na construção de loja varia de 25 milhões a 45 milhões de reais e as conversões "não custam menos que 12 milhões a 15 milhões de reais" cada, diante de obras que incluem troca de piso por um que suporte pesos de até 3,5 toneladas, o que com frequência exige obras de instalação de estacas nas fundações.

No terceiro trimestre, o Assaí teve crescimento de 25 por cento na receita líquida sobre um ano antes, apesar da deflação nos preços de alimentos que tende a comprimir a receita dos varejistas. Enquanto isso, a área de super e hipermercados do GPA teve expansão de 8 por cento e o rival mais próximo, Atacadão, do Carrefour Brasil , teve aumento de 5,6 por cento.

Como o Assaí conseguiu abrir as nove lojas antes da temporada de compras de fim de ano, a empresa deve registrar no quarto trimestre um crescimento "muito forte" nas vendas sobre um ano antes, disse Gomes. Ele citou que cerca de 120 mil pessoas passaram pelas novas lojas no primeiro dia de operação de cada uma e que a loja de Salvador, a segunda na capital baiana e construída do zero, chegou a operar 20 horas no dia de inauguração em 1º de novembro.

"A queda nos preços dos alimentos trouxe dificuldades (para o setor), mas permitiu que o consumidor aumentasse volumes de compra. O tíquete médio subiu 4,5 por cento no terceiro trimestre e continua subindo no quarto trimestre, sem movimento de 'downgrade'", disse o presidente do Assaí. Ele se referiu ao ato do consumidor de optar por marcas mais baratas de produtos que já está acostumado a comprar.

Para 2018, Gomes afirmou que o Assaí pretende manter o ritmo de 20 aberturas de lojas de 2017, indepentendemente das incertezas trazidas pelas eleições. No radar da empresa está um cenário de preços mais positivo para os alimentos, que devem apresentar alguma recuperação frente a este ano.

"A tendência natural é de expansão geográfica, tem muito mercado onde temos pouca ou nenhuma presença. Em Minas Gerais, abrimos a primeira loja (em Uberlândia) só agora", disse o executivo. "Independentemente do cenário, continuaremos abrindo 20 lojas (em 2018). É muito mais uma questão estratégica de entrarmos em mercados em que ainda não temos presença", acrescentou.

(Alberto Alerigi Jr.)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos