PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

ONS mantém estável previsão de carga de energia em junho, mas custo sobe na semana

15/06/2018 12h02

SÃO PAULO (Reuters) - O custo de geração de energia elétrica para atender a demanda na próxima semana subiu ante o período anterior, enquanto o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) registrou poucas mudanças nas projeções de carga e previsões de chuvas nas áreas das principais hidrelétricas em junho, de acordo com relatório do órgão nesta sexta-feira.

Agora a previsão é de que a unidade mais cara a ser acionada para atender a demanda na próxima semana terá custo de 478,95 reais por megawatt-hora, ante uma faixa média de 452,70 reais a 466 reais por megawatt-hora na semana anterior, em um mês que as bandeiras tarifárias estão vermelhas nível dois, um mecanismo que gera despesa extras aos consumidores para alertar a população sobre a situação da oferta no sistema elétrico nacional.

No subsistema do Sudeste/Centro-Oeste, o volume de energia armazenada nas hidrelétricas é atualmente de 41,56 por cento. No Sul, é de 49,9 por cento, de enquanto no Nordeste está em 38,7 por cento, segundo o ONS.

Na bandeira vermelha nível dois, acionada em momentos de condições mais desfavoráveis para a geração das hidrelétricas, há um custo adicional de 5 reais a cada 100 quilowatts-hora consumidos.

Segundo o ONS, as chuvas no Sudeste para junho foram estimadas nesta sexta-feira em 78 por cento da média histórica para o mês, ante 76 por cento na semana anterior. No Nordeste, a previsão foi mantida em 39 por cento.

Já a carga de energia elétrica do sistema brasileiro deve avançar 0,8 por cento em junho ante o mesmo mês do ano anterior, versus estimativa de 0,9 por cento na semana anterior.

A carga de energia representa uma soma do consumo com as perdas na rede.

Dados preliminares divulgados na véspera pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) apontaram queda de 3,2 por cento no consumo de energia do Brasil entre os dias 1º e 12 de junho.

(Por Roberto Samora)