ipca
-0,09 Ago.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

AES foca renováveis e pioneirismo em baterias no Brasil após venda da Eletropaulo

18/06/2018 14h15

Por Luciano Costa

SÃO PAULO (Reuters) - A elétrica norte-americana AES vai focar as operações no Brasil em energia renovável e buscará ainda desenvolver seu negócio de baterias no mercado local, após fechar no início deste mês a venda de toda sua fatia na distribuidora de energia Eletropaulo à italiana Enel.

A AES informou na semana passada que vendeu toda sua fatia de 16,84 por cento na Eletropaulo à Enel, por cerca de 1,27 bilhão de reais, um valor considerado "justo" pelo presidente da companhia no Brasil, Julian Nebreda.

"O negócio foi fechado de acordo com nossas expectativas. Consideramos o valor justo", disse o executivo à Reuters, em respostas por e-mail, adicionando que a companhia irá agora focar a atuação no país em geração limpa.

"O Brasil segue sendo extremamente relevante para a AES Corp, que tem como missão global o investimento em renováveis. Por suas dimensões continentais, (o país) oferece uma ampla gama de oportunidades em geração de energia renovável", destacou.

A AES Tietê, braço de geração de energia limpa da empresa, tem buscado ampliar sua capacidade por meio de aquisições, que envolveram mais recentemente a compra de dois projetos solares a serem implementados e um parque eólico já em operação, o complexo Alto Sertão II.

A empresa também viabilizou um projeto solar em um leilão promovido no final do ano passado pelo governo federal. O empreendimento precisa iniciar operação até 2021.

Os projetos solares da AES Tietê, que somam 300 megawatts em capacidade, deverão entrar em operação entre julho deste ano e 2019, com investimentos totais estimados em 1,3 bilhão de reais.

"Juntos, os três complexos solares farão da AES Tietê uma das maiores geradoras de energia fotovoltaica do país", afirmou Nebreda.

A AES Tietê tem uma meta de chegar a 2020 com 50 por cento da geração de caixa proveniente de empreendimentos renováveis não-hidrelétricos com contratos de longo prazo.

"Para atingir esse objetivo, temos um plano de investimentos para o Brasil... temos como objetivo investir em projetos que possam gerar valor excepcional, com sinergia na operação, como Alto Sertão II, muito importante para o portfólio da AES Brasil", disse Nebreda.

BATERIAS

Outro foco da atuação da AES no Brasil será no desenvolvimento de seu negócio de armazenamento de energia por meio de baterias.

"Esta tecnologia, umas das mais inovadoras e versáteis disponíveis no mercado, vai consolidar-se como uma proposta de valor no setor de distribuição. E queremos ser pioneiros nisso", disse Nebreda.

Ele apontou que a tecnologia pode apoiar a integração de fontes renováveis ao sistema elétrico, compensando a intermitência da geração eólica e solar, ou ser utilizada para aliviar redes de transmissão ou distribuição.

Outras possibilidades de uso das baterias são em regiões isoladas do sistema elétrico, como no Norte do país, ou em projetos direcionados ao consumidor final, em associação com soluções de geração distribuída, como sistemas de painéis solares em telhados.

"Nossa missão é oferecer soluções inovadoras a nossos clientes, e armazenamento de energia é uma delas", disse Nebreda, adicionando que a companhia pretende anunciar novidades no segmento "muito em breve".

(Por Luciano Costa)

Mais Economia