Bolsas

Câmbio

Minério de ferro, aço e outras commodities caem na China diante de tensão comercial

SÃO PAULO (Reuters) - Os preços de commodities na China, de minério de ferro a borracha, caíram nesta terça-feira, com o sentimento dos investidores abalado pela intensificação da guerra comercial entre Pequim e Washington, o que pode prejudicar a segunda maior economia do mundo.

As vendas generalizadas também atingiram o aço, o cobre, o algodão e o óleo de palma, com os investidores chineses retornando do feriado de segunda-feira.

O primeiro contrato da soja em Chicago tocou 8,415 dólares por bushel/bushel, o menor nível desde dezembro de 2008, em meio à imposição de taxa para o produto dos EUA.

O presidente dos EUA, Donald Trump, ainda ameaçou impor uma tarifa de 10 por cento sobre outros 200 bilhões de dólares de bens chineses, levando o Ministério do Comércio da China a alertar que Pequim tomará medidas abrangentes para "combater com firmeza".

O contrato do vergalhão mais negociado na Bolsa de Xangai, para entrega em outubro, fechou em queda de 2,9 por cento, a 3.769 iuanes (583 dólares) por tonelada, após atingir uma máxima em mais de nove meses na sexta-feira.

O minério de ferro na Bolsa de Dalian caiu 4,6 por cento, para 450,50 iuanes por tonelada.

(Por Manolo Serapio Jr., em Manila, e Muyu Xu, em Pequim)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos