ipca
-0,09 Ago.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Chinesa Goldwind fecha contrato de até R$450 mi com Energimp para eólicas, diz fonte

26/06/2018 13h25

Por Luciano Costa

SÃO PAULO (Reuters) - A Goldwind, maior fabricante chinesa de turbinas eólicas e uma das líderes globais do setor, fechou contrato de até 450 milhões de reais para realizar reparos em parques eólicos da brasileira Energimp, disse à Reuters uma fonte com conhecimento das negociações.

A assinatura oficial do acordo será em cerimônia agendada para quinta-feira, segundo convite enviado pela Goldwind à imprensa e agentes do setor. A empresa disse que o negócio envolve fornecimento de equipamentos, reparos e serviços de "retrofit" em 242 turbinas de usinas da Energimp, num total de 363 megawatts em capacidade, sem citar valores.

A Energimp, que opera parques eólicos no Nordeste e no Sul do Brasil, é uma sociedade entre a fabricante argentina de equipamentos eólicos Impsa e o Fundo de Investimentos do FGTS (FI-FGTS).

A companhia passou a sofrer dificuldades após a Impsa pedir recuperação judicial, ainda em 2014, o que paralisou projetos em andamento e prejudicou a manutenção das turbinas dos parques eólicos que ela já tinha em operação.

"Essa solução, com a Goldwind, vai recuperar a capacidade de geração de energia da Energimp... o contrato é de um valor expressivo, de 400 milhões a 450 milhões de reais em investimento", disse a fonte, que falou sob a condição de anonimato.

Os trabalhos de recuperação dos parques eólicos devem levar entre dois anos e quatro anos para serem concluídos, ainda de acordo com a fonte, que adicionou que muitas das turbinas dos empreendimentos da Energimp não estão mais em condições de operar, o que prejudica o faturamento da empresa.

A Goldwind anunciou ainda em março o fechamento de seu primeiro contrato no Brasil, conforme publicado pela Reuters, mas a empresa não divulgou à época quem era a contraparte no negócio.

Uma segunda fonte disse à Reuters que o acordo foi junto a um parque eólico em Mataraca, na Paraíba, e envolveu reparos em equipamentos, assim como o mais recente negócio junto à Energimp.

A Goldwind também assinou no país contrato com a Chesf, da Eletrobras, para avaliar soluções que permitam a retomada da construção da usina eólica Casa Nova I, na Bahia, paralisadas há anos após a crise financeira da Impsa, que forneceu os equipamentos do empreendimento.

Mas esses contratos são apenas um início para as atividades da Goldwind no Brasil, adicionou a segunda fonte, familiarizada com a estratégia dos chineses.

"A Goldwind não veio para o Brasil só para fazer reparos em turbinas", disse.

A Goldwind tem conseguido os primeiros acordos para serviços e fornecimento em parques eólicos com turbinas da Impsa porque a companhia é atualmente a única empresa licenciada no Brasil para utilizar tecnologia da alemã Vensys, adotada nos equipamentos da fabricante argentina.

Procurada, a Goldwind não respondeu de imediato a pedidos de comentário. Não foi possível contato com representantes da Energimp.

(Por Luciano Costa)

Mais Economia