ipca
-0,21 Nov.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Associação de importadores de diesel diz que aguarda R$122 mi da ANP em subsídios atrasados

19/09/2018 15h15

Por Marta Nogueira

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Associação Brasileira das Importadoras de Combustíveis (Abicom) ainda aguarda a aprovação de pagamentos atrasados de cerca de 122 milhões de reais pela agência reguladora ANP, no âmbito do programa de subsídio ao diesel do governo federal, afirmou o presidente da entidade Sérgio Araújo, nesta quarta-feira.

Outros cerca de 6 milhões de reais, aguardados pela associada Petro Energia, foram aprovados na terça-feira pela ANP para serem pagos.

Problemas no programa governamental de subsídio têm reduzido fortemente as importações privadas. Com isso, especialistas estão alertando sobre o risco de suprimento do combustível no quarto trimestre, uma ameaça que a ANP descarta, em meio a uma atuação mais forte da Petrobras.

Do montante total de valores atrasados para os associados da Abicom, de aproximadamente 128 milhões de reais, todos referentes à segunda fase do programa de subvenção, Araújo afirmou que 83 milhões de reais deveriam ter sido pagos no dia 26 de julho, enquanto outros cerca de 45 milhões de reais estavam previstos para 20 de agosto.

Além da Petro Energia, as demais associadas da Abicom são Ciapetro Trading, Êxito, Greenergy, BCI, Mercuria, Sulplata, TMP e Tricon.

"Essa falta de dinheiro no fluxo de caixa e a confiabilidade no programa leva a algumas incertezas, e o fato é que ninguém está fazendo importações, nenhuma das nossas associadas", afirmou Araújo à Reuters.

Procurada, a ANP afirmou que "vem trabalhando para pagar o quanto antes valores dos subsídios".

Lançado em junho, o programa de subvenção foi uma resposta à paralisação dos caminhoneiros, que protestaram em maio contra os altos preços do combustível.

Por meio dele, Petrobras, pequenas refinarias e importadoras reduziram preços com a promessa de serem ressarcidas pelo governo.

As empresas, no entanto, vem apontando falhas no programa, como ressarcimentos previstos aquém do necessário, além dos atrasos no pagamento.

Na noite de terça-feira, a ANP anunciou a aprovação do pagamento de um total de aproximadamente 877,9 milhões de reais, sendo 871,5 milhões de reais para a Petrobras, 6,2 milhões para a Petro Energia e 191,6 mil para a Dax Oil.

Até então, o programa havia feito pagamentos de menos de 200 mil reais, segundo dados anteriormente publicados pela ANP.

"Essa notícia de ontem, da liberação do pagamento da Petrobras, da Dax Oil e Petro Energia é bastante positiva... o esforço, o comprometimento (da ANP)... a gente reconhece que isso demora. No entanto, os 122 milhões de reais continuam fazendo muita falta no caixa das nossas empresas", afirmou.

(Por Marta Nogueira)

Mais Economia