PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Conselho da CPFL estima preço por ação de R$29,30 a R$35,30 em oferta pública

30/05/2019 09h44

Por Luciano Costa

SÃO PAULO (Reuters) - O conselho de administração da CPFL Energia estima um preço por ação de entre 29,30 reais e 35,30 reais em uma oferta pública primária em preparação pela companhia, segundo ata de reunião do colegiado divulgada nesta quinta-feira.

A realização da oferta, que incluirá papéis no exterior, por meio das chamdas ADRs (American Depositary Receipt), foi aprovada na véspera pelo conselho da CPFL, que é controlada pelo grupo chinês State Grid, segundo fato relevante.

No comunicado, a CPFL disse que a oferta envolverá inicialmente 116,8 milhões de ações ordinárias, incluindo as ADRs, com esforços restritos de colocação.

Esse volume representaria uma oferta que movimentaria entre 3,4 bilhões e 4,1 bilhões de reais, de acordo com os preços indicados pela elétrica para os papéis.

A operação tem coordenação de Itaú BBA como líder, além de Santander Brasil, Bradesco BBI, BTG Pactual e Morgan Stanley.

Apesar da sinalização sobre os valores, a CPFL afirmou que o preço por ação no âmbito da oferta será fixado após a conclusão do procedimento de coleta de intenções de investimento junto a investidores institucionais, conhecido como "bookbuilding", acrescentou a CPFL.

As ações da CPFL fecharam a véspera cotadas a 29,75 reais por papel, mas na ata da reunião do conselho a companhia aponta que esse valor "não seria a melhor indicação do preço esperado... devido à baixa liquidez das ações".

Os recursos obtidos com a transação serão utilizados pela CPFL Energia para a aquisição de ações em sua unidade de geração limpa CPFL Renováveis detidas por sua controladora, a chinesa State Grid.

Segundo a empresa, a oferta ainda poderá ser ampliadas em até 20% até a conclusão do bookbuilding por meio de lote adicional. Também poderá haver um lote suplementar, envolvendo até 15% do total de ações inicialmente ofertadas.

A CPFL acrescentou também que poderá haver realocação de ações entre a oferta no Brasil e a oferta internacional, em função da demanda.