PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Curvas invertidas de juros não são "voto de confiança", diz presidente do BoE

10/09/2019 10h27

NOVA YORK (Reuters) - A recente queda nos rendimentos de títulos de longo prazo abaixo das taxas de papéis de curto prazo nos principais mercados de renda fixa soberana não é "um voto de confiança" nas perspectivas econômicas, disse o presidente do Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês), Mark Carney, nesta terça-feira.

Embora seja mais fácil agora que as curvas se invertam nos países desenvolvidos do que antes, isso ainda não é um sinal positivo para a economia, disse Carney em evento em Nova York.

As curvas de rendimento nos Estados Unidos e no Reino Unido se inverteram por alguns momentos no último mês. No caso dos EUA, o fenômeno tem sido um indicador confiável de recessão econômica, embora seu histórico seja menos consistente em outros lugares.

Falando um dia depois que o Parlamento britânico bloqueou a mais recente investida do primeiro-ministro, Boris Johnson, por eleições antecipadas em meio ao impasse atual do Brexit, Carney também disse que o investimento empresarial britânico está rodando a um ritmo 25% mais lento do que antes do referendo do Brexit, em 2016.

(Por Jonnelle Marte e Kate Duguid)