IPCA
0.11 Ago.2019
Topo

Petrobras reduz ganhos, mas não impede Ibovespa de fechar no azul

11/09/2019 17h04

Por Peter Frontini

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da bolsa paulista subiu nesta quarta-feira anulando a queda da véspera, em meio a um cenário mais favorável no exterior, com Petrobras reduzindo a alta do Ibovespa e papéis de empresas de comércio eletrônico em sessão de recuperação.

O Ibovespa avançou 0,4%, a 103.445,60 pontos. O volume financeiro da sessão somou 16,5 bilhões de reais.

Na máxima do dia, o índice chegou a superar os 104 mil pontos, mas teve os ganhos reduzidos após declaração do presidente dos EUA, Donald Trump, sinalizando que considera aliviar sanções contra o Irã. Os preços do petróleo em Nova York caíram 2,49 por cento. As ações da Petrobras recuaram.

Trump também repercutiu a decisão da China de isentar alguns produtos dos EUA de suas tarifas, antes de reunião entre autoridades de segundo escalão dos dois países planejada para ainda este mês.

Há também a expectativa de que o Banco Central Europeu (BCE) reduza as taxas de juros e retome um programa de compra de ativos para estimular a economia da região.

Aqui, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que o ministro da Economia, Paulo Guedes, pode enviar à Câmara nos próximos dias o texto da reforma tributária.

A sessão ainda contou com anúncio de demissão do secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra, em meio à demora na formatação final da reforma tributária e polêmica sobre a criação de um novo imposto sobre transações financeiras no moldes da CPMF.

DESTAQUES

- MAGAZINE LUIZA ganhou 6,46%, com papéis de comércio eletrônico recuperando-se de fortes perdas da véspera após lançamento do Amazon Prime ao Brasil. B2W subiu 3,26% e VIA VAREJO avançou 2,95%. Em Nova York, Mercado Livre subiu 2,1 em Nova York%.

- PETROBRAS PN e PETROBRAS ON perderam 0,85% e 1,77%, respectivamente, seguindo os preços do petróleo no exterior, que mudaram de viés após Donald Trump sinalizar que pode aliviar as sanções impostas sobre o Irã.

- B3 avançou 1,44%, após divulgar dados operacionais de agosto na véspera. Para o BTG Pactual, os números corroboram a tese de que o terceiro trimestre será forte. Após o fechamento do pregão a companhia anunciou que teve uma decisão desfavorável no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) relativa à incorporação da Bovespa e que vai recorrer à Justiça.

- MRV saltou 9,02%, após perder 13,86% em setembro até a véspera, em sessão de alta do setor imobiliário, após o jornal o Estado de S. Paulo publicar que o governo usará o FGTS para bancar todo o subsídio do Minha Casa Minha Vida, medida que tem potencial de destravar 26,2 bilhões de reais em investimentos no programa habitacional.

- BANCO BTG PACTUAL valorizou-se 4,16%, no segundo dia de alta, após perder 13,7% nos primeiros pregões do mês. No setor, ITAÚ UNIBANCO PN cedeu 0,45% e BRADESCO PN perdeu 0,44%.

- VALE perdeu 0,6%, em dia negativo para ações de mineradoras e siderúrgicas, com GERDAU PN caindo 2,14% e CSN perdendo 3,08%. USIMINAS PNA teve declínio de 0,84%.

- TELEFÔNICA BRASIL subiu 1,6% por expectativas de que o PLC 79, que altera a Lei Geral de Telecomunicações, seja votado no plenário do Senado ainda nesta quarta. OI perdeu 2,42% e avançou 0,94%.

(Reportagem adicional Aluísio Alves; Edição Alberto Alerigi Jr.)

Mais Economia