PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Ibovespa fecha em queda com bancos entre maiores pressões; coronavírus ainda preocupa

29/01/2020 18h29

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa fechou em queda nesta quarta-feira, com bancos entre as maiores pressões de baixa, após balanços trimestral do Santander Brasil, além de persistentes incertezas sobre os potenciais reflexos do surto de coronavírus na China.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa caiu 0,94%, a 115.384,84 pontos. O volume financeiro da sessão somou 19,95 bilhões de reais.

Na máxima, o Ibovespa chegou a superar os 117 mil pontos, mas perdeu o fôlego, apesar do viés relativamente positivo em praças acionárias no exterior.

Na visão do presidente da BGC Liquidez, Ermínio Lucci, os mercados tendem a continuar voláteis, com o principal foco sendo a avaliação do impacto da epidemia do coronavírus no crescimento econômico da China e por consequência nos emergentes.

Mais cedo, o economista do governo chinês Chang Ming estimou que o surto, que já matou mais de 130 pessoas e infectou quase 6 mil na China, pode reduzir o crescimento do PIB no primeiro trimestre em cerca de 1 ponto percentual.

Lucci citou, contudo, que os resultados corporativos norte-americanos de empresas estão mostrando números bons, assim como é positiva a expectativa para a safra de balanços brasileiras.

Em Nova York, o S&P 500 resultados e projeções de empresas como Apple, Boeing e GE adicionarm um tom positivo em parte da sessão, mas o fôlego arrefeceu em meio a comentários do titular do Federal Reserve.

O banco central dos EUA manteve a taxa básica de juro, conforme esperado, e o chairman Jerome Powell afirmou que a autoridade monetária vê os preços de ativos de certa forma elevados.

Powell também disse que o coronavírus terá algum efeito na economia chinesa, pelo menos no curto prazo.

DESTAQUES

- SANTANDER BRASIL UNIT caiu 1,86%, após balanço trimestral com expansão de 9,4% no lucro recorrente. O Credit Suisse considerou positivo o desempenho do ROE, mas que a qualidade do resultado foi um pouco pior do que o esperado, citando fatores despesas como provisões para inadimplência.

- ITAÚ UNIBANCO PN recuou 1,55% e BRADESCO PN perdeu 1,43%, após os números do Santander Brasil, mas também dados de crédito do Banco Central.

- WEG ON avançou 0,9%, ampliando a valorização em 2020 para cerca de 27% e renovando cotação recorde. Mais cedo, a empresa divulgou novas mudanças no corpo executivo.

- VALE ON cedeu 0,88%, após alta na véspera, com o mercado atento a potenciais efeitos no crescimento chinês pelo surto de coronavírus, com a China prorrogando feriado e fechando várias fábricas.

- PETROBRAS PN fechou com elevação de 0,17%, favorecida pela alta dos preços do petróleo Brent no mercado externo, mas PETROBRAS ON recuou 0,46%.

- AZUL PN caiu 4,07%, após forte valorização na véspera. GOL PN recuou 3,45%.