PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Arábia Saudita luta para encontrar compradores para seu petróleo extra, dizem fontes

27/03/2020 09h59

Por Alex Lawler e Olga Yagova e Nidhi Verma

LONDRES/MOSCOU/NOVA DÉLHI (Reuters) - A Arábia Saudita está lutando para encontrar clientes para o seu petróleo extra, à medida que a demanda cai devido ao aumento do coronavírus e do frete, disseram fontes do setor, minando a tentativa do reino de conquistar participação de mercado de rivais ao expandir sua produção.

A anglo-holandesa Shell e as refinarias norte-americanas estavam comprando menos petróleo saudita, as refinarias indianas buscavam entregas atrasadas, disseram as fontes. As refinarias polonesas também estavam reduzindo as compras, acrescentaram.

A Unipec, o braço comercial da maior refinaria da Ásia, Sinopec, também decidiu não demandar mais petróleo saudita em abril após o aumento das taxas de frete, disseram fontes.

O maior exportador de petróleo do mundo planeja aumentar acentuadamente as exportações após o colapso, neste mês, de um acordo de três anos para um corte de oferta entre a Organização dos Países Exportadores de Petróleo e outros produtores, incluindo a Rússia.

Mas, com a demanda também caindo devido às medidas globais para conter o surto de coronavírus, as empresas de petróleo vêm reduzindo as taxas de processamento de refinarias e não têm pressa em comprar barris sauditas extras, disseram as fontes.

A demanda global por petróleo deverá cair 20% nos próximos meses, disse o presidente da Agência Internacional de Energia, Fatih Birol, na quinta-feira.

Além das consequências do coronavírus, fontes comerciais disseram que os custos mais altos do frete também estavam afetando o preço.

A Saudi Aramco, estatal, não quis comentar.

A Shell está entre as principais empresas de petróleo que usam menos petróleo saudita, disseram duas fontes do setor. A Shell se recusou a comentar.