PUBLICIDADE
IPCA
0,26 Jun.2020
Topo

BC da China sinaliza mais medidas para sustentar economia após surto de coronavírus

11/05/2020 07h35

PEQUIM (Reuters) - O banco central da China afirmou no domingo que vai acelerar os ajustes contracíclicos para sustentar a economia e tornar a política monetária mais flexível para conter os riscos financeiros.

O relatório de implementação de política monetária do primeiro trimestre do Banco do Povo da China não repetiu a antiga promessa de evitar uma "enxurrada" de estímulo para sustentar o crescimento, reforçando sinais de mais medidas.

A tendência econômica estável de longo prazo permanece inalterada, apesar do surto de coronavírus, disse o banco central.

"Mas no momento, os desafios enfrentados pela economia da China são sem precedentes, precisamos considerar totalmente as dificuldades, riscos e incertezas", disse o banco.

O banco central afirmou ainda que vai manter a liquidez ampla, usando medidas agregadas e estruturais, e continuará a aprofundar as reformas dos juros para ajudar a reduzir os custos de empréstimos e destinar recursos financeiros de forma mais eficiente na economia.

O banco central também vai sustentar a economia real, especialmente pequenas e médias empresas, disse.

"Devemos lidar adequadamente com a relação entre estabilização do crescimento, garantia de emprego, ajuste da estrutura, prevenção de riscos e controle da inflação", disse o Banco Central do Povo da China.

A economia da China contraiu 6,8% no primeiro trimestre ante o ano anterior, encolhendo pela primeira vez desde ao menos 1992, uma vez que o surto de coronavírus paralisou a produção e os gastos.

(Reportagem de Judy Hua, Samuel Shen e Kevin Yao)

Economia