PUBLICIDADE
IPCA
+0,25 Jan.2021
Topo

BC amplia horizonte de projeções no relatório Focus, muda regra de estimativa para câmbio

15/01/2021 14h50

Por Isabel Versiani

BRASÍLIA (Reuters) - O Banco Central anunciou nesta sexta-feira uma ampliação do horizonte das projeções macroeconômicas coletadas junto ao mercado para o seu relatório Focus, divulgado semanalmente, e uma mudança específica nas sistemática das expectativas colhidas para o câmbio.

A pesquisa passará a considerar, nas expectativas para a taxa de câmbio, a média da taxa Ptax de venda do período analisado, e não mais a taxa vigente no último dia do período.

Para a taxa anual, será considerada a taxa média de dezembro, e não mais a do último dia útil do ano.

O chefe do Departamento de Estatísticas do BC, Fernando Rocha, disse que a mudança foi feita diante da avaliação de que, por se tratar de variável volátil, é sempre difícil prever o dado do câmbio para um dia específico e que, portanto, a média das projeções para um período seria mais relevante.

As novas sistemáticas entrarão em vigor para as projeções coletadas a partir da terça-feira. Rocha reconheceu que, como as projeções encaminhadas pelas instituições participantes têm validade de 30 dias, no primeiro mês após a mudança do modelo poderá haver algum "ruído" nas projeções, que trarão dados computados por duas sistemáticas diferentes.

"Pode dar algum ruído ou volatilidade, mas durante um período curto", disse Rocha a jornalistas.

Os horizontes de projeção para IPCA, Selic, câmbio e PIB no Focus foram ampliados, de 18 meses para 2 anos.

Segundo Rocha, desde agosto, quando o Comitê de Política Monetária (Copom) adotou o 'forward guidance' --orientação por meio da qual se comprometeu a não elevar os juros desde que algumas condições sejam satisfeitas (incluindo a ancoragem das expectativas de inflação)--, o BC já vinha coletando essas informações de prazo mais longo junto ao mercado de maneira ad hoc. Agora esses dados estão sendo incorporados oficialmente ao Focus.

As séries das estatísticas das variáveis fiscais passarão a ser divulgadas para os dez anos à frente.

Por outro lado, o BC informou que as projeções para IGP-DI, IPA-DI, IPA-M, INPC, IPCA-15 e IPC-Fipe deixarão de ser coletadas, assim como as taxas médias anuais de câmbio e Selic. Rocha afirmou que, para efeitos do sistema de expectativas de mercados, esses indicadores são menos relevantes, e recebiam poucas declarações.

Com a mudança, o Focus ficará mais focado, compensando também parcialmente o aumento de custos que as instituições terão para elevar o horizonte de suas projeções, disse Rocha. Ele acrescentou que as projeções do "Top 5", cinco instituições que mais acertam os dados estimados, deixarão de ser publicadas no relatório semanal, mas seguirão disponíveis nas séries do BC.

O BC também anunciou a modernização da interface para o registro de dados para as cerca de 140 instituições que participam do levantamento.