PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

Ibovespa tem alta robusta após 6 baixas seguidas, com apoio de Wall Street

28/01/2021 18h32

Por Aluisio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - Munidos de uma bateria de indicadores econômicos e de resultados corporativos que aliviaram maiores temores dos efeitos da crise, investidores retomaram o apetite por ativos de risco, levando para cima as bolsas de valores, incluindo a B3, cujo principal índice subiu nesta quinta-feira, após seis quedas consecutivas.

Diferente da véspera, o Ibovespa manteve-se firme e até estendeu ganhos durante a sessão, apoiado também em dados domésticos mostrando queda do desemprego e alta do crédito, fechando em alta de 2,59%, aos 118.883,25 pontos. O giro financeiro da sessão somou 34,85 bilhões de reais.

Em Wall Street, dados melhores do que o esperado de pedidos de seguro-desemprego e resultados trimestrais animadores de Apple, Facebook e Tesla, entre outros, fizeram os principais índices se recuperarem, após o pior dia em três meses.

Embora em alerta permanente para o noticiário da pandemia da Covid-19, os investidores encontraram também nos dados de empresas razões para voltar às compras, especialmente após o Ibovespa ter acumulado perda de 7,35% desde a máxima histórica de 125 mil pontos, no começo do mês.

Para profissionais do mercado, o noticiário envolvendo a pandemia e sobre o frágil cenário fiscal brasileiro deve manter volatilidade dos ativos de risco no médio prazo.

Nesse último quesito, os agentes repercutiram o dado de déficit primário do governo central em 2020, um recorde de 743,1 bilhões de reais, porém abaixo da previsão do Ministério da Economia para o período, de 831,8 bilhões de reais.

DESTAQUES

- IRB BRASIL disparou 17,8%, com investidores imitando o movimento que deu impulso aos papéis da GameStop, de pressionar vendedores a descoberto.

- IGUATEMI ganhou 7% puxando a fila do setor. MULTIPLAN subiu 6,65% e BR MALLS evoluiu 5,9%, recuperando-se de perdas recentes. A associação do setor, Abrasce, anunciou que o faturamento de suas sócias caiu 33,2% em 2020, a 128,8 bilhões de reais, afetado pelas medidas de isolamento social para combater a coronavírus.

- USIMINAS ganhou 5,7% e CSN teve acréscimo de 3,24%. Produtores de aço anunciaram novos aumentos nos preços no mercado brasileiro, seguindo a elevação no mercado internacional.

- PETROBRAS PN subiu 1,39%. A Reuters publicou que três consórcios com participação de estaleiros asiáticos estão se preparando para fazer oferta à Petrobras em 1º de fevereiro, na primeira licitação para contratar plataformas próprias em mais de sete anos, e que poderá envolver bilhões de dólares.

- ITAÚ UNIBANCO foi apreciada em 4,1%, liderando os bancos de varejo, após o Banco Central divulgar que o estoque de crédito no Brasil subiu 1,6% em dezembro sobre novembro e que a inadimplência em recursos livres caiu de 3% a 2,9%. BANCO DO BRASIL teve ganho de 2,83%, SANTANDER BRASIL cresceu 4%. BRADESCO evoluiu 2,94% e

- CIELO foi uma das poucas baixas do índice, caindo 0,72% e devolvendo parte da escalada de 13% registrada na véspera, na esteira de resultados trimestrais acima do esperado.

Para ver as maiores baixas do Ibovespa, clique em

Para ver as maiores altas do Ibovespa, clique em

(Edição Alberto Alerigi Jr.)