PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Eletrobras diz que subsidiária de energia nuclear sofreu ataque cibernético

 Eletrobras informou que sua subsidiária responsável pelas usinas nucleares do complexo de Angra dos Reis foi alvo de ataque cibernético - Reprodução
Eletrobras informou que sua subsidiária responsável pelas usinas nucleares do complexo de Angra dos Reis foi alvo de ataque cibernético Imagem: Reprodução

Luciano Costa

Em São Paulo

04/02/2021 08h24

A Eletrobras informou que sua subsidiária responsável pelas usinas nucleares do complexo de Angra dos Reis foi alvo de ataque cibernético, mas negou impactos sobre a operação das unidades ou riscos de segurança.

Foi detectado um ataque por softwares nocivo, conhecido como "ransonware", sobre a Eletronuclear, disse a elétrica estatal em comunicado na noite de ontem, acrescentando que a rede administrativa atingida não se conecta com sistemas operativos das usinas nucleares de Angra 1 e Angra 2.

"O incidente, portanto, não trouxe impactos para a segurança, nem para o funcionamento da Central Nuclear Almirante Álvaro Alberto (CNAAA), muito menos prejuízos para o fornecimento da energia elétrica ao Sistema Interligado Nacional", disse a Eletrobras.

A subsidiária nuclear suspendeu temporariamente o funcionamento de alguns de seus sistemas operativos para proteger a integridade de seus dados.

A Eletrobras disse que equipes da empresa "contiveram e erradicaram os efeitos do ataque e, assim, o vírus foi isolado, e uma minuciosa verificação dos ativos segue em andamento".

Em paralelo, a Eletronuclear informou o ocorrido ao Centro de Tratamento e Resposta a Incidentes Cibernéticos de Governo (CTIR.Gov), com cópia para representante do Sistema de Proteção ao Programa Nuclear Brasileiro (SIPRON), subordinado ao Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República.

O ataque sobre a unidade de energia nuclear da Eletrobras segue-se a outros incidentes que atingiram recentemente empresas de diversos setores no Brasil, incluindo companhias de energia elétrica como a paranaense Copel, que reportou um caso nesta semana.

(Edição de Eduardo Simões)

PUBLICIDADE