PUBLICIDADE
IPCA
1,16 Set.2021
Topo

Índice acionário europeu fecha em leve alta, mas Credit Suisse despenca

29/03/2021 13h30

Por Devik Jain e Shreyashi Sanyal

(Reuters) - As ações europeias tiveram apenas leve alta ao fim de uma sessão volátil nesta segunda-feira, com as ações do Credit Suisse pressionando o mercado após um alerta de perdas "significativas" ao fechar posições depois de um hedge fund norte-americano deixar de cumprir chamadas de margem.

As ações do banco suíço despencaram 13,8%. A instituição informou que um hedge fund não identificado deixou de atender a chamadas de margem feitas na semana passada pelo Credit Suisse e outros bancos.

O Credit informou que, embora seja "prematuro quantificar" a perda resultante, ela "pode ​​ser altamente significativa e material para os nossos resultados do primeiro trimestre".

"Não está claro se a Archegos terminou com sua liquidação e, se não, quanto de venda ainda resta", disse Connor Campbell, analista da Spreadex.

"Isso também levanta questões sobre ramificações mais amplas dos problemas do hedge fund e quais empresas serão as próximas a anunciar que foram prejudicadas."

O índice FTSEurofirst 300 subiu 0,19%, a 1.648 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 ganhou 0,16%, a 428 pontos.

O índice de serviços financeiros do mercado europeu teve o pior desempenho do dia, em queda de 1,9%, enquanto o setor de bancos, que inclui Deutsche Bank e UBS, caiu 0,9%.

No STOXX 600, os setores de mineração, petróleo e gás e viagens e lazer --todos beneficiários de uma recuperação econômica-- estiveram entre os maiores declínios, conforme médicos franceses advertiram que uma terceira onda de infecções por Covid-19 em breve poderá sobrecarregar os hospitais.

A chanceler alemã, Angela Merkel, pressionou no domingo Estados do país a intensificar esforços para conter o rápido aumento das infecções por coronavírus e levantou a possibilidade de decretar toques de recolher para tentar manter uma terceira onda sob controle.

O índice STOXX 600 tem estado para trás em relação a seus pares norte-americanos nos últimos seis meses, à medida que novos bloqueios no continente e um programa de vacinação mais lento do que o esperado prejudicavam as perspectivas econômicas para a Europa.

O índice alemão DAX --com forte peso de ações de empresas exportadoras-- subiu 0,47%, para uma máxima recorde. Dados no fim de semana mostraram que os lucros anuais das empresas industriais da China aumentaram nos primeiros dois meses de 2021, destacando uma recuperação no setor manufatureiro do país.

Em LONDRES, o índice Financial Times recuou 0,07%, a 6.736,17 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX subiu 0,47%, a 14.817,72 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 ganhou 0,45%, a 6.015,51 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve valorização de 0,12%, a 24.421,40 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou baixa de 0,07%, a 8.492,10 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 valorizou-se 0,57%, a 4.864,35 pontos.

PUBLICIDADE