PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Petrobras contrata Keppel por P-78 para Búzios e prevê entrega em 2024

P-52, plataforma da Petrobras na Bacia de Campos, a  - Bruno Domingos/Reuters
P-52, plataforma da Petrobras na Bacia de Campos, a Imagem: Bruno Domingos/Reuters

Luciano Costa

10/05/2021 08h43Atualizada em 10/05/2021 16h03

SÃO PAULO (Reuters) - A Petrobras informou que assinou contrato com a empresa Keppel Shipyard Limited para a construção da P-78, sétima unidade a ser instalada no campo de Búzios, no pré-sal da Bacia de Santos.

A entrega da plataforma, do tipo FPSO, com capacidade para armazenar e transferir petróleo, está prevista para 2024, disse a estatal em comunicado ao mercado nesta segunda-feira.

A companhia acrescentou que a P-78 terá capacidade de processamento de 180 mil barris de óleo por dia e 7,2 milhões de m3 de gás por dia.

O projeto prevê a interligação de 13 poços ao FPSO, sendo seis produtores e sete injetores.

A Petrobras disse que a contratação foi feita na modalidade EPC (engenharia, suprimento e construção), dentro da estratégia da companhia de desenvolver novos projetos de plataformas próprias incorporando lições aprendidas em unidades anteriores instaladas no pré-sal.

O acordo com a Keppel prevê atendimento a um conteúdo local de 25%, com serviços a serem executados no Brasil por meio de parceria ou subcontratação de empresas nacionais.

A Petrobras tem colocado a exploração de Búzios como uma de suas prioridades, ao destacar que ele é "o maior campo de petróleo em águas profundas do mundo" e "um ativo de classe mundial, com reservas substanciais, baixo risco e baixo custo de extração".

Atualmente, há quatro unidades em operação em Búzios que respondem por mais de 20% da produção total da Petrobras.

A quinta e sexta plataformas previstas para o campo (FPSOs Almirante Barroso e Almirante Tamandaré) estão em construção e a oitava e nona unidades (FPSOs P-79 e P-80) estão em processo de contratação, segundo a estatal.

A Petrobras informou que Búzios deve chegar ao final da década com produção diária acima de 2 milhões de barris de óleo equivalente por dia, tornando-se o ativo da Petrobras com maior produção.

A título de comparação, a Petrobras fechou o primeiro trimestre com produção total de petróleo, LGN e gás natural de 2,765 milhões de barris de óleo equivalente ao dia.

(Por Luciano Costa)