PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

CMSE vê carga de energia atendida até início do período úmido; despacha mais térmicas

31/08/2021 08h48

SÃO PAULO (Reuters) - O Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) concluiu em reunião realizada na segunda-feira que as medidas tomadas recentemente para alívio no cenário de geração de energia têm feito com que as projeções indiquem o atendimento da carga nos cenários avaliados até novembro deste ano, quando se espera que a temporada de chuvas comece a aliviar a situação dos reservatórios das hidrelétricas.

O Ministério de Minas e Energia afirmou, em nota publicada na noite de segunda-feira, que os ganhos recentes que mostram um panorama de atendimento à carga até novembro advêm especialmente da flexibilização das usinas hidrelétricas da bacia do rio São Francisco, "com ganhos energéticos relevantes."

"Os cenários prospectivos de atendimento para os próximos meses, até novembro de 2021, foram atualizados", disse a pasta. "Os cenários apresentados pelo Operador reforçam a criticidade do momento. Contudo,... as novas projeções indicam o atendimento da carga de energia elétrica nos cenários avaliados."

A avaliação busca afastar preocupações sobre riscos de racionamento de energia.

Em meio à grave crise hídrica enfrentada pelo Brasil, o comitê também aprovou o despacho de novas usinas termelétricas, o que tem elevado os custos de geração no país --em setembro, as contas de luz terão mais uma vez bandeira tarifária vermelha patamar 2.

A usinas termelétricas de Uruguaiana e Cuiabá serão acionadas entre outubro de 2021 e março de 2022, enquanto a Termonorte I terá despacho por seis meses a partir de setembro deste ano, de acordo com a nota.

Além disso, segundo a pasta, a assessoria econômica do ministério aproveitou o encontro para apresentar mais detalhes sobre sua proposta de redução voluntária do consumo no mercado regulado, que é atendido por distribuidoras, por meio de incentivos econômicos.

O relato do ministério sobre a reunião não traz mais informações a respeito do tema, mas indica que este será debatido no próximo encontro da Câmara de Regras Excepcionais para Gestão Hidroenergética (Creg), que ocorrerá nesta terça-feira.

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, disse à Reuters na véspera que o governo federal pretendia definir em até dois dias o valor dos descontos que serão dados a consumidores residenciais e estabelecimentos comerciais e industriais de menor porte que reduzirem voluntariamente o consumo de energia --em cronograma alinhado à nova reunião da Creg.

(Por Gabriel Araujo)

PUBLICIDADE