PUBLICIDADE
IPCA
-0,68 Jul.2022
Topo

UE aprova novas sanções à Rússia contra setores de energia, aço e defesa

Reuters, Bruxelas

15/03/2022 09h06

A União Europeia aprovou formalmente hoje uma nova enxurrada de sanções contra a Rússia por sua invasão da Ucrânia, que inclui vetos de investimentos no setor de energia russo, exportações de bens de luxo e importações de produtos siderúrgicos da Rússia.

As sanções, que entram em vigor após a publicação no diário oficial da UE ainda nesta terça-feira, também congelam os ativos de mais líderes empresariais que apoiam o Estado russo, incluindo o proprietário do clube de futebol Chelsea, Roman Abramovich.

A Comissão Europeia informou em comunicado nesta terça-feira que as sanções incluem "uma proibição abrangente de novos investimentos no setor de energia russo".

A medida atingirá as importantes petrolíferas russas Rosneft, Transneft e Gazprom Neft, mas os membros da UE ainda poderão comprar petróleo e gás delas, disse uma fonte da UE à Reuters.

Também haverá uma proibição total de transações com algumas empresas estatais russas ligadas ao complexo militar-industrial do Kremlin, disse o Executivo da UE.

O bloco chegou a um acordo preliminar sobre as novas sanções na segunda-feira, e nenhuma objeção foi levantada antes do prazo acordado.

Mapa Rússia invade a Ucrânia - 26.02.2022 - Arte UOL - Arte UOL
Imagem: Arte UOL

Estima-se que o veto das importações de aço da Rússia afete 3,3 bilhões de euros (3,6 bilhões de dólares) em produtos, segundo a Comissão.

As empresas da UE também não poderão exportar bens de luxo com valor superior a 300 euros, incluindo joias. As exportações de carros que custem mais de 50.000 euros também serão proibidas, disseram fontes da UE.

O pacote também proíbe as agências de classificação de crédito da UE de emitir classificações para a Rússia e para empresas russas.

As últimas sanções seguem três rodadas de medidas punitivas que incluíram o congelamento de ativos do banco central russo e a exclusão do sistema bancário SWIFT de alguns bancos russos e bielorrussos.